Já era esperado que novembro seria um mês agitado, tanto na política, quanto no mundo canábico. Ao passo que Trump conquistava sua vitória na maioria dos estados americanos, um a um, os resultados dos referendos sobre legalização da cannabis, medicinal ou recreativa, foram surgindo, e com boas notícias para quem luta pela legalização: 8 dos 9 estados que votaram, legalizaram-na de alguma forma.

O único estado que disse não em seu referendo foi o Arizona, que negou a Proposition 205, para a maconha recreacional. Legalizaram a cannabis de forma medicinal os estados de Arkansas, Flórida, Montana e North Dakota. Já Califórnia, Maine, Massachusetts e Nevada disseram sim à cannabis recreativa.

Diante desse cenário favorável porém, paira uma incerteza: Donald Trump. De acordo com a revista High Times, ativistas e apoiadores do movimento pró legalização americano mantém uma certa desconfiança com as opiniões do recém-eleito presidente. Apesar de se declarar ‘100% a favor da cannabis medicinal’, ele disse que o debate sobre a maconha recreacional ‘deveria caber aos estados’.

Mais ainda, existe o receio de que as palavras do presidente Barack Obama sobre a suavização da criminalização não sejam levadas à cabo. Como a maconha ainda segue regulada como uma droga perigosa, Tipo 1, segundo a classificação governamental oficial, é possível que Trump utilize a máquina federal de segurança para fechar dispensários e outras atividades do ramo recreativo.

Partidários do novo presidente já se declararam veementemente contra a maconha, e pode ser que no começo do ano que vem, toda a indústria que está florescendo volte à ilegalidade. O problema está em como entender de que forma o presidente verá a indústria da cannabis, e também que tipo de pressão ele sofrerá por suas medidas, em uma ou outra vertente.

De um lado, o fator econômico joga a favor da indústria canábica, com expectativas de lucros exorbitantes, é quase impossível não perceber os benefícios que poderá trazer a longo prazo, porém, o lobby de outras indústrias e interesses políticos podem sobrepor-se às palavras de Trump, que disse respeitar a soberania das leis de cada estado. Agora, é esperar para saber qual dessas políticas ganhará força com o novo governo.

Fontes: http://hightimes.com/news/will-donald-trump-sucker-punch-the-weed-industry/

A greener America: Marijuana’s big statement in Election 2016

Imagens: BBC; bemparana.com;

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.