Entre os dias 8 e 10 de dezembro, Montevidéu recebeu a quarta edição da Expocannabis Uruguay, um evento que, em um formato de conferências, fóruns e cursos, promoveu o conhecimento e o debate sobre várias ideias ligadas ao universo canábico, sobretudo nas áreas de inovação, tecnologia e empreendedorismo.

Para além da intensa programação de palestras, que trouxe luz a temas importantes, como a situação da regulamentação da cannabis no Uruguai, o potencial terapêutico dos extratos da planta e o desenvolvimento sustentável da indústria do cânhamo, a feira conectou empresas e projetos inovadores ao público final, que sentiu, na prática, o potencial desse mercado.

eGrow

A ideia do uruguaio Renzo Mastrascusa para ajudar amigos que cultivavam cannabis hidropônica em espaços pequenos e inadequados, lá em 2015, deu origem ao eGrow, um sistema automatizado que permite aos cultivadores ter sua safra em apenas 4 meses, com uma ótima qualidade, independentemente da época do ano – e sem tanto trabalho.

O aparelho, que mais parece um armário quando visto com as portas fechadas, funciona como uma estufa para os cultivos de hidroponia, enquanto um sistema conectado via internet se encarrega de controlar a iluminação, de acordo com cada fase, e de suprir as necessidades de nutrientes da planta, através de um sistema inteligente de bombeamento. “Depois de conectar o sistema, o cultivador precisa, basicamente, apenas abastecer o compartimento de água a cada vinte dias”. Por enquanto, as máquinas eGrow estão disponíveis para aluguel. Saiba mais no vídeo:

Extrações

Não faltaram na Expocannabis Uruguay 2017 estandes de demonstração da produção de extrações canábicas. Empresas com já grande representatividade no mercado internacional, como a gigante Rosin, levaram os visitantes da feira a conhecerem os processos da fabricação de extrações a partir do bud e também descobrirem quais as tecnologias mais avançadas nessa área.

“A prensa mais cara que temos no momento é uma de 20 toneladas, automática, para uso industrial. Poderia ser usada nos clubes de cultivo, por exemplo – embora ainda a lei não esteja clara sobre essa questão. O valor dessa máquina aqui no Uruguai é de US$ 5 mil”, afirma Federico Sicardi, representante da SHO Products na América Latina, grupo responsável pela marca Rosin, entre outras.

O Futuro do Cânhamo

Quem passou pelo estande da empresa ALT3RLAB pode conferir o uso de um bioplástico feito com cânhamo, da variedade Carmagnola, na produção de esculturas feitas a partir de uma impressora 3D. Mais impressionante que isso é a explicação sobre o potencial desse material para outras aplicações: próteses, materiais de construção e biopolímeros, fitoquímicos, cosméticos, preparações farmacêuticas, alimentos para humanos e animais, biomassa para produção de energia e muito mais. A ALT3RLAB pretende implementar o cultivo de cânhamo industrial entre pequenos e médios agricultores rurais do Uruguai e iniciar uma cadeia produtiva, com a criação de protótipos de novos produtos ecológicos que oferecem alternativas válidas ao meio ambiente.

Quem não teve a chance de conferir a Expocannabis Uruguay 2017 pode participar do próximo evento criado pelo grupo Uruguay Siembra. O Cannabis Conference acontecerá em janeiro de 2017, em Punta del Este, também no Uruguai. Saiba mais em: www.cannabisconference.uy.

Fotos: Luiz Michelini Netto

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.