Após a Organização Mundial da Saúde recomendar a reclassificação da cannabis e todos os seus derivados no tratado internacional de drogas, o Parlamento Europeu aprovou uma resolução que facilitará o avanço da cannabis medicinal nos países da União Europeia.

A resolução não é vinculada e tem como objetivo incentivar e encorajar o desenvolvimento de programas médicos de cannabis na União Europeia – priorizando estudos científicos e clínicos.

A Comissão de Uso de Cannabis para Fins Medicinais e os países membros da UE ficarão encarregados de “abordar as barreiras regulatórias, financeiras e culturais” que impedem o desenvolvimento de pesquisas científicas sobre a cannabis e seus usos médicos, de acordo com a Forbes.

O Parlamento também salientou que o acesso à cannabis medicinal assim como informações sobre o uso correto do medicamento, seja igualitário. A resolução diz que “é essencial que eles recebam informações abrangentes sobre os perfis completo das cepas usadas na medicação fornecida”.

Aras Azadian, CEO da Avicanna, empresa canábica multinacional, aplaudiu a decisão do Parlamento Europeu. “Isso ajudará a facilitar e agilizar os estudos sobre eficácia e segurança em produtos com canabinóides para além dos mercados iniciais, como Canadá e Israel. (…) Existe uma preocupação constante com os produtos tóxicos e ineficazes oferecidos como remédios que serão limitados com a entrada de estudos qualificados”, disse Aras à Forbes.

Saiba mais em:

Forbes

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.