Nesta última terça-feira (22/09), 29 senadores se reuniram para pedir ao Ministério da Saúde rapidez no processo de distribuição de remédios à base de CBD pelo SUS.

Às vezes parece que tá ficando bom, mas 2020 tá aí para mostrar as coisas estão estranhas.

O senador Eduardo Girão (Podemos-CE) foi o responsável por apresentar o manifesto, que pede ao Ministério da Saúde para incluir os medicamentos de CBD na lista de remédios fornecidos gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Apesar de validar o tratamento dos pacientes que usam canabidiol, Girão e outros senadores também fizeram o pedido para invalidar ações de cultivo.

Isso vai evitar que se plante, pois o medicamento vai ser feito em laboratório. Já existe tecnologia pra isso, já é feito isso em vários países, para que seja fornecido às famílias e não precisem mais plantar a maconha em território nacional”, disse Girão.

O senador também é contra o PL 399/2015, que está tentando aprovar o cultivo de maconha para fins medicinais, de pesquisa, e também do cânhamo industrial. Outro projeto que não abrange o verdadeiro problema.

A Polícia Federal disse que não tem como fiscalizar. Seria um prato cheio para quem quer fazer coisa errada, quem quer usar a dor dessas famílias para ampliar o tráfico. Quando a maconha é liberada, o tráfico aumenta e o consumo explode, porque vc passa uma mensagem para a juventude de que o governo liberou e é legal“, afirmou Girão.

Fonte: Agência Senado

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.