Ainda que a regulamentação de produtos à base de maconha para uso medicinal no Brasil tenha sido aprovada, há mais de um ano, pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e que os produtos possam ser adquiridos em farmácias, mediante prescrição médica, muitos ainda precisam lidar com o preconceito e estereótipos dentro de casa. Por isso, o Ganja Talks decidiu listar métodos discretos e eficazes de falar sobre o assunto para evitar bisbilhoteiros de plantão e parentes críticos.

A necessidade de neutralizar e desmascarar o estigma em torno da cannabis é um desafio quase universal, mesmo em países e estados onde a ganja é legalizada. Se quisermos avançar para um futuro em que ninguém enfrente repercussões injustas por usar cannabis para fins médicos ou recreativos, parte dessa batalha começa em casa.

Iniciando uma conversa com seus pais

Se você não tem certeza como seus familiares vão reagir em relação à cannabis, uma maneira de testá-los é trazer à tona os acontecimentos recentes envolvendo notícias sobre o assunto. Você pode, por exemplo, falar sobre a regularização do uso medicinal no Brasil ou até as recentes aprovações para fins médicos, recreativos ou ainda sobre as reversões de leis antidrogas ao redor do mundo.

Abordar o assunto de uma maneira que não seja diretamente pessoal, pode dar a você a chance de avaliar como eles enxergam o tema, antes de você divulgar mais informações médicas que só dizem respeito a você. Assim, pode até ser que eles apoiem a ideia muito mais do que você espera ou imagina. Estamos na torcida por você!

Falando de ganja com as crianças

É claro que pais e irmãos não são os únicos membros da família com quem, talvez, você tenha que discutir sobre cannabis. As primeiras conversas com os pequenos podem enfocar a necessidade deles compreenderem que certos medicamentos não são apropriados para qualquer pessoa e que certos lugares onde esses remédios são armazenados devem ficar fora do alcance deles por questões de segurança.

Com o tempo, a cannabis pode ser usada como uma ferramenta de ensino na missão de mostrar aos mais jovens como cuidar de si próprios e desenvolver mecanismos de enfrentamento saudáveis. Ao mesmo tempo, pode ser usada para encorajar sua família a desenvolver mais compreensão e empatia. Se você não falar, pode ter certeza que outro fará!

Contando sobre cannabis para colegas e amigos

Para chegar lá, a chave pode estar em conversas contínuas sobre todos os aspectos de como cuidar do estado físico, mental e emocional de seu corpo. Você pode acrescentar que, além de terapia, exercícios físicos, alimentação e consumo de vitaminas, por exemplo, você precisa de algo a mais para ajudá-lo a se sentir melhor.

Talvez o argumento mais convincente de todos seja que a cannabis é uma ferramenta valiosa para cuidar de si mesmo. Provavelmente, seus amigos entenderiam se você precisasse de fisioterapia para se recuperar de uma lesão ou de antibióticos para curar uma infecção. Uma vez que eles entendam que existem mecanismos muito reais pelos quais a cannabis trata as raízes de várias doenças – e que você não está simplesmente engessando um problema com um sentimento de “chapado feliz” – fará com que o fato de que você tenha encontrado uma maneira segura, eficaz e que não prejudica a ninguém, para cuidar de si, não será mais um problema.

Explicando tudo isso para seus parentes

Se pra você é importante iniciar essa conversa com aqueles que estão ao seu redor, comece explicando sobre os benefícios médicos da cannabis para você. Lembre-se: a educação realmente é a chave da mudança. Então, talvez você tenha até que usar gráficos, pesquisas, referências e preparar toda uma apresentação porque essa, pode ser, a única maneira de chegar até algumas pessoas da sua família.

Ensine aos seus parentes sobre os muitos benefícios não-intoxicantes comprovados da cannabis. Você pode até começar discutindo o CBD à base de maconha, por exemplo. Desmistifique os efeitos colaterais psicológicos da ganja e concentre-se em mostrar que pra você ela pode ser um remédio.

Conectando-se com a sua real comunidade

Se você encontrar resistência durante as conversas, lembre-se de que há uma pressão imensa em nossa sociedade para manter as aparências quando se trata de nosso bem-estar físico e mental. Muitas condições que respondem extraordinariamente bem à cannabis – como endometriose, fibromialgia e depressão – são frequentemente minimizadas e desconsideradas como “tudo da sua cabeça”, apesar de seu impacto significativo na vida cotidiana.

Se seus familiares ou amigos não conseguem entender por que você precisa da cannabis para se sentir melhor, é possível que eles não tenham uma compreensão completa dos desafios que você enfrenta. Isso pode ser isolador e prejudicial.

Se isso acontecer, encorajamos você a buscar recursos como grupos de apoio ou comunidades online para pessoas com sua condição específica ou até um terapeuta especializado em conviver com doenças crônicas, por exemplo.

Com pessoas no time Ganja Talks que também usam cannabis para lidar com questões médicas, podemos garantir que você não está sozinho e que há outras pessoas por aí que vão entender e apoiar você.

Aguente firme e não desista! o/

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.