O canabidiol, também conhecido por CBD, é um dos princípios ativos da maconha. Compõe até 40% dos extratos da planta e pode ser usado como medicamento para diversas doenças, que variam de epilepsia severa à fibromialgia. É uma substância canabinoide, ou seja, aquela que age nos receptores do cérebro.

Visto com desconfiança por ser feito a partir de uma planta ilegal e com efeitos psicoativos, o CBD conquistou espaço na mídia a partir de 2014, quando uma mãe ganhou, na justiça, o direito de importar CBD para tratar sua filha que tinha a síndrome CDKL5, causadora de epilepsia grave.

A criança sofria até 80 crises por semana e os medicamentos não surtiam efeito desejado. No entanto, o canabidiol praticamente zerou as crises da garota.

Em 2015, a ANVISA retirou o CBD da lista de substâncias ilegais, passando para a lista de substâncias controladas, exigindo receita e laudo médico para importação.

Ao contrário do THC, o CBD não tem propriedades psicoativas e promove grande variedade de outros efeitos no cérebro e no corpo.

O CBD atua direcionando os receptores no sistema endocanabinóide e têm sido usado na medicina há milhares de anos, sendo um elemento básico nas práticas da medicina natural, como a medicina chinesa e indiana.

No entanto, foi só na segunda metade do século 20 que o CBD foi isolado de outros compostos encontrados em plantas de cânhamo e cannabis para uso autônomo.

Embora vários esportes nos traga grande alívio das tensões e relaxamento incomparável após a prática, as atividades físicas podem ser exaustivas e dependendo do esforço, fadigar a musculatura.

Fato comprovado é que o CBD tem fortes propriedades anti-inflamatórias e serve como ótima ferramenta para dores musculares e recuperação.

O CBD atua diretamente com o nosso corpo para bloquear a inflamação e os receptores da dor. Pode também ser um bom recurso para um programa de recuperação de lesões, não apenas por sua capacidade de controle da dor, mas também para regulação do estresse.

Para atletas profissionais preocupados com competições, o CBD é perfeito para auxiliar na quietude da mente. Mais uma vez, ele funciona diretamente com o sistema endocanabinoide para proporcionar sensação geral de bem-estar para a mente e o corpo.

O CBD também demonstrou ajudar no sono, que afinal é outra ótima ferramenta de recuperação para atletas. Como o CBD demonstrou ter propriedades anti-inflamatórias, pode potencialmente aumentar a taxa do processo de recuperação de atletas que sofreram alguma lesão.

Confira abaixo os principais benefícios do CBD:

Diminuição da dor

Vários estudos mostram que o CBD pode minimizar a dor decorrente de lesões ou após realizar um treinamento intenso. Para dor localizada, a indicação é o CBD aplicado topicamente, por exemplo, por meio de bálsamos ou roll-ons.

Recuperação muscular

Como o CBD demonstrou propriedades anti-inflamatórias, ele pode potencialmente aumentar a taxa do processo de recuperação muscular. Isso é benéfico para os atletas, pois pode acelerar o processo de “ganhos”, evitando a inflamação excessiva.

Crescimento muscular

Além de ajudar na velocidade de recuperação muscular, o CBD também pode estimular o crescimento muscular, atuando como um anticatabólico. Afinal, os hormônios catabólicos são compostos que desencadeiam a perda de massa muscular. O CBD pode atuar potencialmente como um anticatabólico por meio da ativação do sistema endocanabinoide. Assim, ele pode reduzir a perda muscular e, combinado com o efeito de recuperação acima, pode ajudar os músculos a crescerem mais rápido.

Aumento da resistência

Pesquisas científicas mostram que o sistema endocanabinoide desempenha um papel vital na euforia de um atleta, aumentando, assim, a resistência do atleta.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.