Cada vez mais, estudos mostram o importante papel da cannabis para a área da saúde. Muito dessa relação se deve à presença do sistema endocanabinóide em todo nosso organismo. 

Esse sistema possui receptores e enzimas que regulam vários processos no nosso corpo, desde apetite e controle muscular até metabolismo, dor e equilíbrio de energia. No caso das mulheres, o útero está cheio de receptores para os canabinóides provenientes da maconha, por exemplo. O que mostra a importância dessa planta para a saúde da mulher como um todo.

Por muito tempo – antes da proibição da cannabis – essa erva era amplamente utilizada para cólicas menstruais, para aliviar as dores do parto, para menorragia, para aliviar sintomas da endometriose e menopausa,

Muitos sintomas das condições acima podem ser controlados e atenuados com cannabis medicinal. 

Hoje, as propriedades da cannabis calmantes e que aliviam a dor são mais difundidas, mas séculos atrás já eram muito aplicadas, inclusive no reinado da Rainha Vitória, na Inglaterra do século XIX. Além disso, diversas farmacopéias do mundo antigo reúnem informações sobre o uso da planta para remediar diversas enfermidades.

Com a proibição da maconha no século XX, todos esses benefícios para o organismo feminino não puderam ser aproveitados. Cabe a nós, disseminar informação de qualidade para que todas as mulheres possam aproveitar das propriedades medicinais (e claro, recreativas) da erva.

Feliz Dia Internacional das Mulheres!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.