Em 26 de março, anualmente, as pessoas ao redor do mundo são convidadas a usar a cor roxa – é um dia de esforço internacional dedicado ao aumento da conscientização sobre a epilepsia.

O Purple Day (Dia Roxo) foi criado em 2008, por Cassidy Megan, uma criança canadense com nove anos de idade na época. Cassydi escolheu a cor roxa para representar a epilepsia, por achar que a flor de lavanda, frequentemente associada com a solidão, representava os sentimentos de isolamento que muitas pessoas com epilepsia sentem.

Nós do Ganja Talks não poderíamos ficar de fora dessa corrente e, por isso, convidamos nosso CEO, João Paulo Costa para um depoimento sobre esse dia tão importante.

“A epilepsia me acompanha desde que sou muito menino. Comecei a ter crises assistidas com 16 anos de idade, mas me lembro de ter convulsões não assistidas bem mais novo. O tema sempre foi parte da minha vida e durante muito tempo tinha que esconder essa questão em entrevistas de empregos e relacionamentos.

A perseguição de pessoas com epilepsia é histórica e carregada de preconceitos até hoje. Vale lembrar que até pouco tempo atrás, pessoas com epilepsia eram trancafiadas em manicômios. A conversa é bem séria e esse dia é o momento de a gente combater todo esse histórico.

O que mais me deixa feliz em meio a todas as dificuldades que enfrentei, nos últimos anos, é a cannabis, que salvou minha vida. Boa parte da vida eu não pude ter uma vida normal, precisava ter um cuidado muito grande com as minhas escolhas, mas quando comecei a consumir cannabis diariamente, minha vida mudou drasticamente.

Consegui a partir do consumo de cannabis, controlar minhas crises, tirar remédios que afetavam muito minha memória e cognição e ter uma vida como todos ao meu redor.

Eu não sei como em 2021, ainda temos pessoas que são contra a cannabis. Eu sei na pele o que é ter uma vida normal, apenas pelo uso de uma planta. Continuo e para sempre estarei lutando pela legalização e normalização do uso.

Hoje é mais um dia de lutar por um direito que todo ser humano deveria ter, de se medicar sem ir para a cadeia e ser tratado como criminoso”.

Apoie essa causa você também!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.