Existe uma imagem caricata do maconheiro ”preguiçoso”, ”atrapalhado”, ”desligado”, ”desmotivado”. Porém, a realidade mostra que o usuário de cannabis está longe disso e não existe uma personalidade ”pré-determinada” para quem fuma maconha. 

Imagem distorcida

Essa imagem negativa do maconheiro foi disseminada com mais força no século passado, quando começou a movimentação para o proibicionismo da maconha à nível mundial, mas até hoje podemos ver pessoas defendendo que quem fuma maconha não tem sucesso, é desligado, inútil, entre outras visões pejorativas dos amantes da planta.

Essa imagem distorcida tem ligação com questões raciais e sócio-culturais que acompanham a história da erva e servem apenas para fortalecer o preconceito em relação à maconha e ao usuário. Na prática, essa imagem é uma mentira. 

Ao longo da história diversos empresários (como Steve Jobs e Elon Musk), personalidades políticas (como Thomas Jefferson e George Washington), escritores, artistas (praticamente todos), estudantes e trabalhadores do mundo todo sempre utilizaram maconha, sem deixar de alcançar seus objetivos. Apesar disso, infelizmente, a imagem negativa do maconheiro predominou. Porém, conforme se muda a percepção a respeito da cannabis, muda-se também a visão sobre o usuário e vice-versa.

Desmistificando o perfil do usuário de cannabis

”Em junho de 2020, a empresa de consultoria Oasis Intelligence divulgou um relatório sobre o perfil atual dos consumidores de cannabis nos Estados Unidos e, em contraste com os estereótipos dos usuários de maconha, a maioria consome a planta por razões de bem-estar e não apenas recreativamente. Isso mostra que os consumidores de cannabis acreditam nos benefícios naturais da planta.

Além disso, a pesquisa também mostra que a maioria dos consumidores possuem, pelo menos, um diploma de bacharel, 64% estão empregados em tempo integral e a maior porcentagem de norte-americanos consumidores de cannabis fatura entre US$ 25 mil e US$ 50 mil, aproximadamente, por ano. 

No crescente mercado da cannabis e na imaginação popular, estereótipos de maconheiro como ‘preguiçoso’, ‘desmotivado’ e ‘antissocial’ estão desaparecendo. À medida que a economia da cannabis se fortalece, diferentes tipos de consumidores passam a integrar esse mercado. Antes, se achava que apenas músicos e escritores eram devotos à erva, mas hoje, vemos desde cientistas a empreendedores apreciando os efeitos e benefícios da planta. O surgimento de uma variedade de produtos de cannabis permite itens como comestíveis de baixa dose ou vaporizadores que tornam a maconha atraente até mesmo para os consumidores mais conscientes com a saúde”*

Novas percepções

Isso mostra que com a legalização da cannabis, a exemplo dos Estados Unidos, onde o estudo foi realizado, muda-se a percepção em relação à maconha, assim, o preconceito sobre a erva e o maconheiro vai se desfazendo. 

Infelizmente, ainda vemos muita ignorância sobre a cannabis, principalmente no Brasil, e a única forma de quebrarmos os pré-conceitos é compartilhar informação de qualidade!


*Mais detalhes sobre o tema desse estudo você encontra no nosso E-book! Os trechos acima foram extraídos do mesmo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.