Nos últimos anos, a vaporização, também conhecida como vaping, se popularizou. Embora a investigação sobre seus efeitos a longo prazo sobre a saúde ainda esteja acontecendo, de modo geral, é uma alternativa mais segura e mais saudável que fumar. Ao ver que muitas pessoas já mudaram dos cigarros tradicionais para o vaping de líquidos, distintos da cannabis e seus derivados, a tendência tem se popularizado também entre o meio canábico, a cada dia que passa. 

O que é a vaporização?

A grande diferença entre a vaporizar e fumar, é que a vaporização não queima a sua erva, apenas a aquece até uma determinada temperatura. Nesse caso, o calor ativa os canabinóides e os terpenos na cannabis, liberando no vapor que será inalado. 

Ao compreender que não está inalando o fumo, como seria em uma carburação tradicional, a vaporização sustenta algumas vantagens práticas em termos de saúde quando comparada com o ato de fumar.

Já que praticamente todas as substâncias prejudiciais que advêm do ato de fumar são produzidas pelo processo de combustão, independentemente de estar a queimar erva ou tabaco, o vaping não queima a sua erva. Portanto, a modalidade promove muito menos toxinas e radicais livres do que quando inalamos a fumaça de um baseado, por exemplo.

O fumo do tabaco contém níveis elevados de carcinogênicos (químicos que provocam o câncer), e infelizmente, é provável que dependendo da procedência da cannabis, estes compostos também estejam presentes, embora em menores quantidades. 

Num estudo realizado sobre a marijuana fumada, a Associação Americana do Pulmão descobriu que o fumo da erva pode libertar ainda mais alcatrão para o corpo quando comparado com o fumo do tabaco. Isto diz respeito, principalmente, ao fato de que a inalação é, habitualmente com maior intensidade, e dura períodos mais longos do que cigarros convencionais.

Os riscos para a saúde associados ao ato de fumar, são suficientes por si só para convencer muitos indivíduos a trocarem para a vaporização. Mas além dos resultados a longo prazo, há muitos que consideram simplesmente como uma experiência mais suave, menos suja e mais agradável para o corpo a curto prazo. 

Fica claro que o consumo de fumaça é prejudicial, entretanto, ao praticar a redução de danos, é possível prolongar o uso da cannabis, a qualidade do que é consumido, e claro, beneficiar a saúde do consumidor.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.