O comércio legal da erva movimenta milhões anualmente e tende a se estender cada vez mais, gerando receita estatal, empregos e fomento à economia. O comércio legal também traz novas possibilidades para o mercado, como o delivery de cannabis, que teve crescimento expressivo com a pandemia.

Canadá

Após a legalização do uso adulto da cannabis em 2018, com objetivo de tirar o comércio da planta do mercado ilegal, o Canadá tornou-se o segundo do mundo a regulamentar todas as práticas relacionadas à cannabis (plantio, cultivo, processamento, comercialização e consumo), seguindo o exemplo do Uruguai, que legalizou a cannabis para fins medicinais e para uso adulto em 2013.

O Canadá se tornou modelo de progresso, ao ter a economia aquecida com a arrecadação de US$ 139 milhões (aproximadamente R$ 533 milhões) em impostos oriundos da venda de maconha, ainda nos cinco primeiros meses da legalização da erva, segundo dados do departamento de estatísticas do país.

Diversas províncias se beneficiaram com a legalização e possuem serviços diversos para atender a crescente demanda do comércio legal da erva.

A capital canadense, Ottawa, acompanhou a tendência nacional, é exemplo de como a cannabis promove uma economia de grandes lucros, já que além dos valores arrecadados em receita, promove também a geração de empregos, a qualidade de vida e, claro, a comodidade que só o delivery oferece. 

Comprar cannabis legalmente sem sair de casa! É assim que os moradores da capital canadense podem adquirir suas strains, de qualidade e com procedência. 

Ao navegar nas páginas das empresas de entrega, é fácil encontrar um dispensário que atenda às necessidades do cliente. Muitos lojas têm operações 24 horas, 7 dias por semana, além de uma ampla variedade de produtos, que vão desde strains com valores acessíveis, variedades de boutique, comestíveis, extratos e muito mais, em apenas um clique de distância!

Brasil

No Brasil também existe delivery de cannabis, mas ilegal. Enquanto a substância mais consumida no país continuar proibida, a economia nacional estará perdendo receita e fomentando um mercado ilícito, sujeito ao crime organizado, ao tráfico e levando a consequências prejudiciais para a sociedade como um todo.

Porém, é válido destacar que existe um crescente mercado auxiliar no país, atuando na legalidade e buscando impulsionar o incipiente mercado canábico no Brasil. Com a possível legalização da cannabis medicinal, já é possível vislumbrar diversas oportunidades para a economia e sociedade brasileiras.

E já existem soluções que visam potencializar o mercado verde por aqui, como o Who is Happy, que busca fortalecer os business canábicos do país, promovendo inovações que ajudam a desenvolver negócios e serviços ligados à cannabis.

Aguardamos o dia em que poderemos comprar cannabis legalmente através de delivery, mas enquanto isso não acontece, seguimos apostando no crescimento do mercado auxiliar e na luta pela legalização.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.