bhang leite com maconha

Há muito tempo a cannabis ocupa espaço de destaque no hinduísmo. Prova disso, são os usos da planta, para inúmeras situações, que vão de bons presságios à celebrações.  

Ao contrário dos costumes ocidentais que envolvem o álcool e o tabaco em suas celebrações, no hinduísmo, em nenhum outro dia deixa mais aparente, o consumo e o culto à cannabis, durante o Festival Holi, iniciado em meados do mês de maio, todos os anos.

HOLI FESTIVAL 

Em uma sociedade de costumes rígidos, marcada pelos choques constantes entre as crenças religiosas, ou castas, a Holi é uma festa que une muitos indianos, todos os anos, na chegada da primavera. 

As celebrações começam com uma fogueira para rezar para afastar o mal, e na manhã seguinte, as ruas se transformam em um belo e colorido cenário, onde crianças e adultos arremessam balões de água das sacadas, esguicham água e espalham pós coloridos em qualquer um ao alcance. 

Ninguém está fora dos limites, mesmo sendo na Índia, país de cultura particular e única, dividido por castas durante o ano todo, que celebra no Holi Festival, o mesmo espírito a todos.

É neste dia que as pessoas saem às ruas com roupas velhas, pintam e se deixam pintar em cores vivas, e celebram a felicidade! As cores simbolizam a eliminação de qualquer forma de discriminação, seja de idade, religião, sexo ou nível social.

Pelos bairros, uma mistura de cores e tambores, gritos e gargalhadas, celebrando as raízes das comemorações criadas por Krishna, o primeiro deus ao qual as castas baixas puderam rezar, por ter nascido em uma família rural.

A lenda conta que, encarnado em um príncipe, Krishna ganhava os corações de todos com suas brincadeiras e por isso estimula tal costume, a fim de eliminar as distinções sociais. 

BHANG: A BEBIDA INFUSIONADA DE LEITE COM CANNABIS

Considerado uma das tradições mais antigas da cannabis no mundo, sua origem está relacionada aos deuses hindus.

Esta bebida é feita a partir das folhas e às vezes os caules esmagados da planta da maconha, leite, água e especiarias.

Na crença indiana, o bhang é fonte de diversos benefícios, por isso é usado em cerimônias religiosas e na medicina ayurvédica.

Outra lenda, diz ainda, que deuses e demônios agitaram o oceano para criar uma bebida da imortalidade, Porém, ao fazer isso, um veneno mortal foi criado e bebido por Shiva, com o intuito de salvar a todos. Para se recuperar, ofereceram bhang a Shiva, que se recuperou e salvou a todos. 

CANNABIS NA ÍNDIA 

Embora a maconha seja ilegal em toda a Índia, exceto para a produção e venda regulamentada pelo governo de bhang e cânhamo, ela é amplamente difundida, ao compreender que a planta da cannabis cresce como uma erva daninha em jardins, florestas e, especialmente, no sopé do Himalaia e nas regiões montanhosas, onde é possível avistá-las ao longo das vastas estradas.

Atualmente muitos seguidores de Shiva o adoram fumando maconha, e nessas celebrações ritualísticas, nem o próprio governo indiano interfere, já que avalia o ato como uma verdadeira intenção religiosa. 

As escrituras hindus, também conhecidas como Vedas, datam a cannabis de 2000 a 1400 a.C., e ensinam que esta é uma das cinco plantas mais sagradas da terra, com crenças que agregam aos deuses, a criação e doação compassiva da cannabis aos humanos, para aliviar nossas dores, ansiedades e medos, e nos dar mais alegria.

Com a colonização britânica, os colonizadores, intrigados com o uso generalizado de maconha pelos indianos, geraram um relatório sobre seu impacto social e moral. O relatório de 1894 concluiu que criminalizar “uma erva tão graciosa como a cannabis causaria sofrimento e aborrecimento generalizados”.

Um tratado das Nações Unidas de 1961 unificou a cannabis com drogas pesadas, e proibiu sua produção e venda, exceto como medicamento ou para pesquisa. Assim, a Índia se comprometeu a limitar o consumo especificamente ao bhang, obtido das folhas e sementes da cannabis, diferentemente da conhecida “ganja”, obtida da flor. 

O tratado deu a países como a Índia 25 anos para fazer cumprir a lei integralmente e, no final desse tempo, o governo indiano aprovou uma lei nacional sobre as drogas que se conformava com o tratado. A diferença é que as leis da Índia ainda são flexíveis sobre o uso recreativo de maconha, limitando a penas leves de seis meses por porte de até um quilo de maconha.

Seja qual for o credo ou a religião, lugar do mundo ou data festiva, a cannabis está presente no cotidiano de diversas nações. E é nesse clima de comemoração, que celebraremos a erva, quanto e quando for necessário!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.