Entes queridos e a comunidade cannábica lamentam a perda do prezado professor Frenshy Cannoli, que nos deixou no último domingo (18), após sofrer complicações pós cirúrgicas.

Em anúncio foi feito pela Madame Cannoli, esposa de Frenchy, publicado no perfil da rede social de Cannoli, as palavras expressam o lamento e a tristeza deixada pela partida repentina. Os dois se conheceram em Pokhara, Nepal, em 1980, e se casaram em 1997. Estavam juntos há mais de 40 anos.

Segundo ela, “Seu falecimento foi inesperado e deixou sua família com um buraco enorme de emoção onde seu sorriso e energia geralmente nos enchiam completamente”.

O mundo verde se despede com tristeza de Frenchy Cannoli, um dos maiores mestres da arte de fazer haxixe.

QUEM FOI FRENCHY CANNOLI

Natural de Nice, na França, Frenchy nasceu em 13 de dezembro de 1956. Viveu como nômade por mais de vinte anos, convivendo com produtores de maconha e aprendendo técnicas transmitidas ao longo de gerações.

Isso inclui países que produzem haxixe, especificamente Marrocos, México, Nepal, Paquistão e Índia. Cannoli aproveitou esse tempo para aprender com os produtores tradicionais e como colher resina de cannabis com cultivadores do Vale de Parvati.

Quando as primeiras leis de acesso médico permitiram que ele deixasse de esconder o trabalho de sua vida e passasse a produzir concentrados de cannabis legais, Cannoli se estabeleceu na Califórnia, e nesse período colaborou com lendários cultivadores do Triângulo Esmeralda, produzindo haxixes lendários.

Por mais de 40 anos, aprendeu, praticou e aperfeiçoou um estilo de fazer haxixe natural, tendo a água como único solvente, em um método milenar.

A personalidade viva e a experiência única de Frenchy o tornaram um palestrante internacional muito procurado, em tópicos como a promessa de cultivos orgânicos e regenerativos, bem como a importância da produção artesanal independente. 

Seus seminários “Lost Art of the Hashishin” forneciam treinamento prático, bem como seus conteúdos em redes sociais, como no canal de Cannoli no YouTube, com mais de 43 mil inscritos, e seus seguidores leais no Instagram, marcando mais de 181 mil pessoas.

Popular como o “Pai do Hash Porn”, em seu documentário, o ‘Frenchy Dreams of Hashish’, mostrou os desafios que a legalização trouxe para pequenas fazendas da Califórnia, além de ter sido repórter da equipe Weed World UK e escrever diversos artigos sobre temas canábicos. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.