O aumento explosivo dos e-commerces com a pandemia impulsionou o interesse em aquisições de empresas envolvendo delivery de cannabis, onde a prática já é legalizada.

Diversas empresas da área canábica adquiriram estabelecimentos focados 100% em delivery de maconha, enquanto outras adquiriram empresas canábicas verticalmente integradas com operações de delivery incluídas.

Ou seja, atualmente, a maioria das empresas de cannabis estão focadas em disponibilizar o serviço de delivery, o que se traduziu na aquisição de empresas já especializadas em entrega de maconha. 

Estratégia

As aquisições são bastante estratégicas, porque o delivery leva a uma maior pulverização dos produtos e permite que empresas vendam em lugares onde a regulamentação não autoriza elas venderem com dispensários. 

Mas essa movimentação de aquisição de serviços de entrega na indústria canábica é justificada como parte de um fenômeno maior: ”o crescimento do delivery”, conforme afirma o investidor Frank Columbo da Viridian Capital Advisor, em entrevista para o Marijuana Business Daily

Após observar o aumento do delivery de todos os tipos de produtos, empresas da área canábica afirmam ter percebido a necessidade de disponibilizar o serviço. 

De fato, uma análise de mercado da PR Newswire mostra que o delivery de maconha é o sub-mercado da indústria canábica que cresce mais rápido. 

Conforme afirma o CEO da Unrivaled Brands para o Marijuana Business Daily: ”certamente, com o COVID, os negócios de entrega direta para o consumidor se expandiram consideravelmente. Nós não achamos que isso seja algo de curto prazo. Acreditamos que seja um componente valioso de longo prazo para o setor da cannabis”. 

Essa tendência fez brilhar os olhos até mesmo de gigantes da indústria. Uber já sinalizou o interesse na área de delivery de cannabis quando a lei federal norte-americana legalizar os usos da planta. 

Novidade da vez

A questão é: delivery de maconha não é uma grande novidade. O que impulsionou esse serviço foi a pandemia e a regulamentação do delivery de maconha em alguns estados norte-americanos e províncias canadenses. 

É importante destacar que até antes da pandemia, muitos territórios que já tinham legalizado a planta, ainda não autorizavam o delivery de maconha. Mas essa tendência de entrega de maconha, fortalecida pelo isolamento social, se tornou a área que mais tem ganhado a atenção do mercado canábico. 

Há muito tempo as entregas de cannabis já são feitas pelo mercado ilegal, portanto, é de se esperar que delivery de cannabis se tornasse uma tendência forte, chamando a atenção e capital da indústria canábica. 

Aqui no Brasil, observamos um fortalecimento do delivery de cannabis também, mas ilegal. Já pensou como seria a realidade de entrega de cannabis dentro da legalidade? Poder receber diferentes tipos de ganja assim como podemos receber diferentes tipos de laricas?

Apesar de parecer um sonho distante, já existem soluções de delivery pensando na área canábica do país! Em breve o Who is Happy Delivery estará disponível para consumidores receberem em casa produtos de tabacaria, headshop, grow shop, bebidas e laricas!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.