A Holanda foi o primeiro país a ter um espaço dedicado exclusivamente para consumo de cannabis. O famoso ”The Bulldog” foi o primeiro coffeeshop do mundo, aberto em 1975, permitindo que cidadãos e turistas tivessem um lugar exclusivo dedicado à cultura canábica, e iniciando a tradição de coffeeshops como espaços dedicados ao consumo de maconha.  

Não são todos os países que legalizaram a cannabis que permitem a existência de coffeeshops ou dos clubes sociais de cannabis (presentes na Espanha), como é o caso do Canadá, Uruguai e diversos estados norte-americanos. Existem lojas e dispensários específicos para você comprar flores, haxixe e edibles, mas não é permitido o consumo dentro desses ambientes.

Mas, por outro lado, já existem outros países no mundo onde a cannabis ainda é ilegal ou criminalizada, mas é permitido consumir cannabis em coffeeshops. Sim, parece estranho, mas existe!

Então, preparamos uma lista com 5 coffeeshops e clubes canábicos ao redor do mundo para você viajar sem sair de casa:

1. Red Fox (Phnom Penh, Camboja)

No Cambodia a maconha é ilegal, mas é permitido o consumo dentro de locais específicos, como é o caso do café Red Fox, localizado na capital do país, Phnom Penh. Nesse café, você pode comprar baseados facilmente, mas só pode consumir dentro do local. 

Outro ponto interessante: ”happy pizzas” – pizzas com cannabis – são uma tradição na cidade. Você pode encontrar vários restaurantes que vendem, em Phnom Penh. Em muitos destes estabelecimentos é o cliente que decide a quantidade de cannabis, ou melhor, a potência da pizza. Alguns até comercializam outros pratos infundidos com cannabis, como milk shakes e panquecas. Ah! Em alguns restaurantes, se você pedir só o ”happy”, sem a ”pizza”, você pode conseguir apenas a cannabis. 

Mas cuidado: se a polícia te encontrar com algumas gramas de maconha, você pode ser preso. Por isso, é preciso consumir dentro destes lugares específicos.

Imagem: reprodução Vice

2. EPICAN (Kingston, Jamaica)

Apesar da forte cultura em torno da maconha na Jamaica, eternizada em diversas músicas de reggae pelos jamaicanos mais famosos do mundo (como Bob Marley e Peter Tosh), a cannabis não é completamente legalizada no país. 

O porte de pequenas quantidades para uso adulto é descriminalizado, ou seja, dependendo da quantidade você vai, no máximo, levar uma multa. Já o consumo em público é proibido

Mas, a compra e consumo de cannabis medicinal ou de cannabis para fins religiosos (a exemplo do rastafarianismo) é permitido, desde de que feitos em locais adequados.

No caso da cannabis medicinal, você pode consumir em dispensários próprios para isso, e o EPICAN é um desses lugares. 

Esse dispensário, que lembra muito um coffeeshop, mas só vende produtos para fins medicinais, foi o primeiro do país a inaugurar no país, em 2018. 

Localizado na capital, o EPICAN permite que você compre e consuma flores, extratos e óleos de cannabis desde que apresente documento e uma comprovação para uso medicinal. Você pode levar uma prescrição médica ou preencher um formulário na hora. 

Imagens: reprodução Smokers Guide

3. Lowell Farms (Los Angeles, Estados Unidos)

Muitos estados norte-americanos já legalizaram a cannabis para uso adulto e medicinal, e os famosos dispensários se desenvolvem a todo vapor. Apesar da legalização, os dispensários não permitem o consumo de cannabis dentro do estabelecimento, apenas a compra. 

Porém, recentemente, o primeiro coffeeshop dos EUA foi inaugurado em Los Angeles, no estado da Califórnia.  

O Lowell Farms permite o consumo dentro do estabelecimento, se caracterizando como um tradicional coffeeshop holandês, e se diferenciando dos dispensários. 

O local só permite a entrada de maiores de 21 anos e conta com um cardápio que oferece desde baseados, até edibles e bebidas infundidas.

Imagens: reprodução Bloomberg e Fortune

4. Barney’s Coffeeshop (Amsterdam, Holanda)

Existem em torno de 160 coffeeshops em Amsterdam. É difícil escolher apenas 1, mas o Barney’s é um que já ganhou diversas ”Cannabis Cup”, e os próprios locais afirmam ser um dos coffeeshops mais famosos. 

Fora esse coffeeshop, o Barney’s ainda conta com o Barney’s Farm, Barney’s Lounge e Barney’s Uptown.

Além disso, o Barney’s firmou uma parceria com o Amnesia Coffeeshop, também considerado um dos favoritos dos turistas. 

Para quem quiser uma lista completa dos melhores de Amsterdam, indicamos o site de turismo desenvolvido por locais.

Imagens: reprodução Barney’s Amsterdam

5. Green Planet Cannabis Club (Barcelona, Espanha)

Barcelona é conhecida por sua tradição de clubes sociais de cannabis.

A maior diferença entre coffeeshops e os clubes sociais é que nestes você precisa se associar para poder comprar e consumir maconha. Isso porque o conceito dos clubes é que eles plantam para os associados, por isso, você precisa se tornar um sócio, pagando uma taxa, para poder comprar e consumir maconha. 

Funciona dessa forma porque a regulamentação da cannabis no país se deu através da permissão de cultivo e consumo apenas através associações, que devem atender alguns requisitos. Tais associações ou clubes se caracterizam como organizações privadas, sem fins lucrativos, nas quais a cannabis é cultivada em conjunto e distribuída para os membros.

Por isso, o consumo fica restrito a estes lugares e só para associados. Em muitos lugares, dificilmente um clube vai vender cannabis para um não membro. O consumo e posse de cannabis, fora destes locais específicos, são proibidos

Alguns clubes possuem requisitos mais restritivos para novos sócios. Em algumas cidades, apenas cidadãos podem se associar. Mas em Barcelona, que possui em torno de 280 associações/clubes sociais, o acesso é mais fácil. 

O Green Planet Club tem ótimas avaliações e parece ser um dos favoritos de turistas brasileiros que passam por Barcelona! Para se associar é preciso atender apenas alguns requisitos, mas turistas são bem vindos como sócios.

Imagem: reprodução Green Planet Cannabis Club

Ah! É importante destacar que, recentemente, a Suprema Corte do país resolveu voltar atrás da sua decisão que permitia o consumo de cannabis em tais clubes sociais, então muitos desses estabelecimentos correm o risco de fechar as portas. Mas, as associações e órgãos competentes já estão recorrendo sobre a decisão da Suprema Corte.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.