A cannabis tem se mostrado excelente aliada dos atletas, tanto para o emocional, quanto para o físico dos desportistas.

A rotina de treinos de atletas de alta performance é intensa, e as propriedades terapêuticas do CBD já se mostraram eficazes para aliviar a dor, agir como anti-inflamatórias, ajudar na recuperação dos músculos, além de contribuir para a diminuição de estresse, ansiedade e insônia. 

Os efeitos positivos do canabidiol chegaram às Olimpíadas e, pela primeira vez, o CBD foi permitido. Nos Jogos Paralímpicos deste ano, o CBD também está liberado pela Agência Mundial Anti-Doping. 

Diversos atletas, inclusive brasileiros, se posicionam cada vez mais a favor da cannabis. O que é muito importante, uma vez que sempre existiu um tabu sobre consumo de maconha e performance nos esportes.

Conheça alguns destes atletas que usam e defendem a planta:

1. Kevin Durant, jogador de basquete do Brooklyn Nets

O astro Kevin Durant sempre demarcou seu apoio às causas canábicas e defendeu os benefícios da planta. O jogador também é um grande investidor de negócios ou projetos relacionados ao assunto. Isso tudo em um contexto onde a maconha segue na lista de substâncias proibidas pela NBA.

Em uma entrevista recente à ESPN, Durant afirmou “que já passou da hora de acabar com os paradigmas em torno da cannabis que ainda existem no mundo dos esportes, bem como no mundo todo”.

Recentemente, o jogador anunciou um investimento no Weedmaps. Kevin Durant comentou que quer aproveitar a ocasião de nova parceria para quebrar estereótipos sobre o uso de maconha entre os atletas da liga de basquete dos Estados Unidos e Canadá.

(Imagem: reprodução ESPN)

2. Nick e Nate Diaz, lutadores de MMA

Os irmãos Diaz são usuários assumidos de cannabis há uma década, pelo menos. 

Os lutadores de MMA são conhecidos por consumir maconha após as lutas e, inclusive, diante das câmeras durante as coletivas de imprensa. 

Mas consumir cannabis abertamente custou algumas competições aos lutadores. Nate e Nick enfrentaram multas e arriscaram suspensão por uso de cannabis, pela UFC.

Apesar disso, os irmãos Diaz continuaram a usar sua posição de destaque para continuar a combater o estigma da maconha. 

Eles construíram várias parcerias e lançaram a GameUp, uma empresa de supernutrição que conta com produtos feitos com CBD.

3. Raoni Barcelos, lutador de MMA

O brasileiro já afirmou recorrer ao CBD para ajudá-lo na recuperação após treinos e lutas. 

Em entrevista, Raoni afirmou “Espero compartilhar conhecimento com atletas de todo o mundo que poderiam se beneficiar com o uso do CBD, mas têm medo de usar os produtos ou não estão informados sobre como usá-los”. 

O lutador foi convidado, inclusive, a ser embaixador da empresa de cannabis medicinal ”HempMeds”.

(Imagem: reprodução Twitter @BarcelosRaoni)

4. Ronda Rousey, lutadora de MMA

A ex-campeã do UFC também já admitiu ter usado maconha em algumas ocasiões e saiu em defesa da cannabis, quando Nick Diaz foi suspenso do UFC. Ao comentar sobre o caso, em coletiva de imprensa, Ronda afirmou: ”Não é certo que ele seja suspenso por cinco anos por causa de maconha. Eu sou contra qualquer teste da cannabis. Não é uma droga ligada à melhora de desempenho, e não tem nada a ver com competição. Só é testada por razões políticas”. 

5. Megan Rapinoe, jogadora de futebol da seleção norte-americana

(Imagem: reprodução Cannabiz)

A estrela do futebol norte-americana já possui sua própria marca de produtos com CBD, a ”The Mendi Co”.

A jogadora foi alvo de críticas por promover seus produtos em meio às Olimpíadas, enquanto Sha’Carri Richardson havia sido banida por consumo de maconha. A questão é que os produtos de Rapinoe são feitos a base de CBD e, infelizmente, Sha’Carri foi banida por doping com THC, substância psicoativa ainda banida pela Agência Mundial Anti-Doping. 

De qualquer forma, Megan é uma grande defensora da cannabis e, em entrevista para Forbes, comentou ”O CBD se tornou parte do meu sistema de recuperação natural, uso ao longo do dia para ajudar com a dor e a inflamação, estabilizar meu humor e dormir melhor. Em vez de tomar Advil ou outros medicamentos para o controle da dor, substituí quase exclusivamente por produtos com CBD”. 

6. Susana Schnarndorf, atleta paralímpica de natação

Na realidade brasileira, ter acesso à cannabis medicinal como aliada na preparação e recuperação dos treinos e competições era muito difícil. Assumir o uso também era complicado, por conta do tabu que sempre existiu em torno da planta.

Mas com os avanços de pesquisas e com a liberação do canabidiol nas Olimpíadas e Paralimpíadas, atletas nacionais comemoram a possibilidade de usar o CBD. 

Em entrevista para a Green Science Times, a atleta Susana Schnarndorf, que sofre de MSA (Atrofia de Múltiplos Sistemas), afirma que a cannabis medicinal a ajuda nas crises de ansiedade e insônia e ainda comenta “Resolvi usar CBD buscando uma nova alternativa, uma vez que o tratamento convencional não estava proporcionando a qualidade de vida que eu queria. A minha doença – que é degenerativa – pode não ter melhorado, mas eu sinto que ele progride bem mais devagar. Tem gente que não quer entender e já rotula logo de cara, mas que bom que a WADA deu esse passo gigante e agora temos voz para contar – competindo em alto nível – que nossas vidas melhoraram”.

(Imagem: reprodução O Globo)

7. Talisson Glock, atleta paralímpico de natação

O brasileiro Talisson, que está competindo na natação nos Jogos Paralímpicos, também saiu em defesa do CBD e confirma fazer uso da cannabis medicinal. 

Em entrevista menciona, ”Eu já conhecia o CBD há bastante tempo, mas nunca foi possível pensar isso no Brasil porque me parecia algo muito distante e extremamente mistificado. Não era uma alternativa pelo difícil acesso, mas o fato da WADA liberar o óleo já mostra que eles tão de olho na ciência e querendo quebrar esse tabu, porque não tem como não olhar para os benefícios que o CBD pode trazer”.

E ainda complementa que o CBD ”Tem me ajudado demais na recuperação entre os treinos, no descanso e principalmente na qualidade do sono. Não tive problema relacionado ao uso simultâneo de outros medicamentos, nenhum efeito colateral e, até por isso, eu acredito que o CBD é uma ótima estratégia e vai estar cada dia mais presente na vida dos atletas. Cada vez que nós, atletas de alto rendimento, colocarmos nossos corpos no limite com a ajuda da cannabis medicinal e mostrarmos nossos resultados, outras pessoas de várias idades, perfis e posições abrirão a cabeça e assim ajudamos a quebrar esses tabus”. 

(Imagem: reprodução NSC)

8. Will Smith, atleta paralímpico de corrida em cadeira de rodas

O atleta fala abertamente sobre como o CBD o ajuda a combater as dores provenientes da sua rotina de treinos intensiva.

Com o uso do canabidiol, Will comenta que percebeu melhora na sua capacidade de treinamento, ajudando a completar treinos mais longos e se recuperando do treinamento em um ritmo mais rápido do que o normal.

Apesar do estigma que sempre existiu em torno do uso da cannabis, Will afirma que sempre observou os benefícios do CBD na sua rotina de treinos e competições. E comemora o fato de que quanto mais o mercado cresce e se expande, as pessoas se tornam mais conscientes dos produtos com CBD, que podem proporcionar benefícios reais. 

(Imagem: reprodução Cannabis Health News)

Estes são só alguns atletas profissionais que defendem a cannabis e assumiram abertamente sobre o uso. Mas existem outros que também tem importante papel em desestigmatizar a maconha no mundo do esporte, como Bob Burnquist, astros do futebol americano, da NBA e por aí vai… Estes atletas comprovam que a cannabis pode ser uma excelente aliada ao esporte!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.