A alimentação tem um papel importante sobre o funcionamento do nosso organismo e mente, inclusive no funcionamento do sistema endocanabinóide, que, por sua vez, é um elemento fundamental para a regulação de diversas funções do nosso corpo, contribuindo para nossa saúde.

(Imagem: créditos Alex Haney | Unsplash)

A importância do sistema endocanabinóide

O sistema endocanabinoide (SEC) é um sistema que não se limita a uma função fisiológica específica, pois é responsável por regular e modificar a operação de quase todos os outros sistemas

Em resumo, é o sistema de comunicação entre células responsável por equilibrar os processos metabólicos e otimizar as funções do corpo. Além disso, ele interage com os endocanabinóides, aqueles que temos no corpo, e os fitocanabinóides, aqueles encontrados na cannabis. 

O desequilíbrio do SEC pode levar a uma disfunção de outros sistemas, acarretando em problemas de saúde.

Além disso, esse sistema desempenha um papel crucial na experiência do dia-a-dia e no humor. 

Existem dois componentes mais importantes do sistema:

  • Endocanabinóides: canabinóides neurotransmissores que o corpo produz naturalmente para transmitir informações.
  • Receptores canabinóides: proteínas ativadas por endocanabinóides, dos quais recebem e transmitem informações.

E onde entra a alimentação nisso tudo?

Os receptores canabinóides (CB1 e CB2) estão relacionados ao metabolismo energético, dieta e digestão. Além disso, o que ingerimos afeta diretamente o bom funcionamento de diversos sistemas, inclusive o SEC.

Se ingerimos alimentos prejudiciais para a saúde, pode haver um desequilíbrio do sistema endocanabinóide, responsável por modular funções importantes do nosso corpo.

E, como mencionado acima, a disfunção do SEC leva a uma série de problemas.

Alimentação

Levando em consideração que o sistema endocanabinóide, além de modular diversas funções do corpo, influencia diretamente na regulação do metabolismo, digestão, entre outras funções, como controle a mobilidade gastrointestinal, absorção de nutrientes, o fluxo sanguíneo e processos inflamatórios, é fundamental que nossa dieta inclua alimentos que ajudem na manutenção dessas funções.

Uma dieta rica em gorduras saturadas, hidrogenadas e açúcares, terá efeitos negativos no funcionamento do SEC (e de toda saúde do corpo, no geral). 

Já uma dieta rica em ácidos graxos (como ômega 3 e ômega 6), por exemplo, desempenha um papel importante no controle da inflamação, do estresse oxidativo e do sistema endocanabinóide.

Alimentos da dieta mediterrânea são excelentes para o sistema endocanabinóide, por serem ricos em ômegas e em gorduras poliinsaturadas.

Alguns alimentos dessa dieta que contribuem para o bom funcionamento do SEC (e de todo o organismo) são:

  • Especiarias: pimenta preta, lúpulo, orégano, cravo, valeriana, salva, alecrim, manjericão.
  • Verduras: brócolis, repolho, couve-flor, rabanete, salsa, cebola, aipo, tomate, vegetais de folhas verdes.
  • Frutas: laranja, maçã, morango e uva.
  • Leguminosas: grão de bico, feijão, lentilhas.
  • Castanhas: nozes, castanha do pará
  • Cereais: aveia, quinoa, pães integrais, arroz integral
  • Peixes: além de vários tipos de pescados, também mariscos, camarões e algas
  • Azeites: oliva e cânhamo

(Imagem: reprodução The Independent)

As sementes de cânhamo também são ótimas para serem adicionadas à dieta e proporcionar os nutrientes necessários para o bom funcionamento do sistema endocanabinóide, e para contribuir à saúde como um todo. 

Fonte: El Planteo

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.