O concreto de cânhamo, ou hempcrete, é uma nova aposta da construção civil. Ele é feito com a parte interna do caule da planta cannabis (chamada de lascas de cânhamo) misturada com cal e água.

Essa mistura origina um material de construção durável, ecológico, resistente, não-tóxico, isolante e leve, pesando cerca de um sétimo do peso do concreto, aproximadamente. 

(Imagem: reprodução ArchDaily)

Além do cânhamo ser super resistente, ele tem bastante sílica, o que faz com que se misture bem com a cal. Essa é uma propriedade única do cânhamo em relação a outras fibras naturais.

A aplicação do hempcrete na construção civil já se mostrou excelente para regulação térmica de ambientes, controle de umidade nas paredes, alternativa sustentável e ecológica, e como um plus, ele não é atacado por mofo, por ser isento de toxinas. 

(Imagem: reprodução ArchDaily Brasil)

Aplicação

Diferente do concreto feito com cimento, o hempcrete não é um elemento estrutural para a construção civil.

Ele pode ser integrado a sistemas de construção, funcionando como um preenchimento isolante entre estruturas de madeira, geralmente. 

Como o concreto tradicional, o hempcrete pode ser moldado no local ou pré-fabricado em componentes de construção como blocos ou folhas.

A massa que se forma com a mistura do cânhamo, cal e água é aplicada nas estruturas da construção, cavidades ou rachaduras da parede. Ao longo do tempo, as reações químicas petrificam a mistura, transformando-a em um bloco leve, porém resistente.

Após totalmente secos e curados, os tijolos de cânhamo podem ser empilhados da mesma forma que os tijolos convencionais.

(Imagem: reprodução Kannabia)

O hempcrete tem sido bastante utilizado para fazer pisos, paredes e isolamento em telhados. A construção civil também tem aproveitado seus benefícios para utilizá-lo em todo o revestimento térmico de uma obra.

Além dessas aplicações, o hempcrete também é um ótimo material para restaurar construções, funcionando bem no reparo de paredes danificadas ou quando se quer adicionar isolamento em alvenaria sólida, ajudando a controlar a umidade. 

Alternativa sustentável

Como o hempcrete é feito a partir das lascas do cânhamo, um resíduo natural, o seu ciclo de vida na construção civil é mais ecológico. Inclusive, o hempcrete pode ser reutilizado e reciclado em caso de demolição. 

O próprio cultivo da cannabis requer menos água, pesticida e fertilizantes do que outras culturas agrícolas. Além disso, o cânhamo sequestra gás carbônico, evita erosão e desintoxica o solo. E o cânhamo pode ser colhido e processado em apenas 4 meses de cultivo. 

O que resta após a colheita se quebra no solo, fornecendo nutrientes valiosos e tornando o cânhamo uma cultura de rotação desejável para os agricultores.

Além disso, o hempcrete ainda filtra o CO2 do ar enquanto seca. Como resultado, um metro quadrado de área do hempcrete pode sequestrar até 16 kg de CO2 equivalente, ao longo de seu ciclo de vida. Ou seja, o hempcrete é um material de carbono negativo. 

E para fazer a mistura com cal, o concreto de cânhamo utiliza menos água do que o cimento tradicional. 

Além dos benefícios ecológicos, o hempcrete pode se tornar uma alternativa mais barata, caso a produção de cânhamo seja permitida. O custo de produção do hempcrete é mais baixo, podendo ser uma ótima opção para construção de casas mais acessíveis. 

(Imagem: reprodução Warwick Daily News)

Material seguro

Depois que o cânhamo se torna hempcrete, seus benefícios continuam.

Em caso de incêndio, o revestimento de cal fornece resistência ao fogo, possibilitando que os habitantes possam evacuar. Também reduz a propagação do fogo e o risco de inalação de fumaça, ao dissipar as chamas, mantendo a integridade estrutural e não emitindo fumaça tóxica.

O cânhamo não causa problemas de pele ou respiratórios e também é permeável ao vapor, criando um ambiente interno seguro. Sua estrutura leve e as bolsas de ar criadas entre as partículas significam que o concreto de cânhamo é resistente a terremotos e um isolante térmico eficiente.

Inovação das antigas

Apesar de parecer algo revolucionário, o cânhamo já era utilizado na construção civil há milhares de anos atrás. 

Nas sagradas cavernas de Ellora, na Índia, obras de arte do século 6 d.C. foram preservadas devido ao uso de um material feito com cânhamo pelos povos antigos.

Pesquisas descobriram que os artistas haviam esmagado a planta do cânhamo e misturado com cal para formar um gesso. A capacidade do cânhamo de repelir naturalmente as pragas e regular a umidade fez com que as obras nessas cavernas sobrevivessem ao tempo.

(Imagem: reprodução Daily Mail UK)

Um pouco mais à frente na história, o hempcrete foi encontrado em pilares de pontes da França do século VI.

(Imagem: reprodução HempMeds Brasil)

O hempcrete parece estar sendo redescoberto atualmente, ganhando relevância na área da construção civil por conta de seus benefícios e por ser uma alternativa possivelmente mais barata e, comprovadamente, mais ecológica.

A cannabis pode se tornar protagonista na mudança da indústria da construção civil.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.