Certos alimentos podem afetar como você se sente depois de fumar um – amplificando ou moderando a brisa – e também podem interagir com o sistema endocanabinoide do seu corpo.

(Imagem: reprodução Now Magazine)

O corpo pode produzir endocanabinoides a partir das gorduras que comemos, explicam especialistas

Portanto, é importante manter uma dieta balanceada e com os nutrientes necessários para que nosso sistema endocanabinóide funcione de maneira adequada. 

De maneira geral, a alimentação influencia o sistema endocanabinóide

Aqui estão cinco alimentos que podem afetar sua brisa:

  1. Chocolate
(Imagem: reprodução Confectionery News)

A anandamida é conhecida como “a molécula da felicidade”, devido à sua capacidade de ajudar o corpo a lidar com o estresse e reduzir a ansiedade.

Pesquisadores descobriram que as substâncias do chocolate e do cacau em pó podem imitar os canabinóides ativando os receptores do nosso organismo ou aumentando os níveis de anandamida. 

Ou seja, ao aumentar os níveis de anandamida através do consumo de chocolate, você pode aumentar a sensação de felicidade ocasionada pela maconha. 

Você vai estar ingerindo duas coisas que fazem você se sentir muito bem, é felicidade em dobro.

  1. Bebidas alcóolicas
(Imagem: reprodução Globalnews)

Muitos estudos apontam que misturar THC e álcool aumenta os efeitos de ambos. 

Um ensaio clínico publicado em 2015 encontrou valores “significativamente mais elevados de THC no sangue” entre os participantes do teste que consumiram álcool com cannabis. 

Além disso, o álcool também pode mudar a forma como os receptores do sistema endocanabinóide operam, pelo menos em casos de abuso de álcool.

Uma revisão publicada em 2012 citou pesquisas que descobriram que “o CB1 contribui com as propriedades motivacionais e de reforço do etanol, e o consumo crônico de etanol altera os níveis do transmissor [endocanabinoide] e a expressão de CB1 nos núcleos do cérebro associados às vias de dependência.” 

Em outras palavras, o etanol leva à liberação de anandamida – que é agradável – na via de recompensa no cérebro. Esse sentimento pode criar um hábito e está relacionado ao desejo que os viciados sentem de continuar usando. Como o abuso de álcool pode desregular o sistema endocanabinoide, as pessoas com dependência do álcool podem ter naturalmente uma tolerância mais forte aos canabinoides.

  1. Ervas (como orégano e manjericão)
(Imagem: reprodução Infused Eats)

Usar ervas frescas na hora de cozinhar pode potencializar os efeitos da maconha. 

Duas ervas muito usadas, manjericão e orégano, incluem uma variedade de terpenos encontrados na cannabis, incluindo a-pineno, limoneno, cânfora, citronela, carvacrol e beta-cariofileno.

Esses terpenos podem ter vários efeitos. O alfa-pineno, por exemplo, que dá à cannabis seu aroma amadeirado, pode ter um efeito anti-ansiedade. Limoneno, que pode ajudar a aliviar a dor, dá a muitas variedades de cannabis seu aroma cítrico.

Ao usar esses temperos em conjunto com a erva maconha, os efeitos podem ser amplificados. 

Talvez uma hempizza com maconha, óregano e majericão seja uma boa pedida para aumentar sua brisa.

  1. Peixes, nozes, vegetais (alimentos fonte de ômega-3)
(Imagem: reprodução Associação Brasileira de Nozes, Castanhas e Frutas Secas)

A dieta da maioria das pessoas hoje é rica em gorduras ômega-6, os ácidos graxos poliinsaturados que são abundantes em milho e grãos. 

Porém, nossas dietas tendem a ser menos abundantes em ácidos graxos ômega-3, que são fornecidos por peixes, nozes, frutas vermelhas e vegetais verdes. 

Ambos os tipos de ácidos graxos interagem com o sistema endocanabinoide, e a própria anandamida é derivada do ácido araquidônico, um ácido graxo ômega-6.

Além disso, pesquisas em humanos e animais descobriram que as gorduras ômega-3 podem modular o sistema ​​endocanabinóide e estão associadas a um menor risco de doenças cardíacas e diabetes. 

Uma vez que ambos os ácidos graxos podem ter efeitos muito diferentes no sistema endocanabinóide, é importante que as pessoas consumam uma dieta balanceada de ácidos graxos ômega-3 e ômega-6. 

Como é mais fácil as pessoas ingerirem ômega-6, é fundamental prestar atenção em alimentos que possuem o ômega-3 para equilibrar a alimentação.

  1. Pimenta
(Imagem: reprodução Better Homes & Gardens)

Um truque para moderar os efeitos da cannabis quando bate muito forte é mastigar um pouco de pimenta do reino ou pimenta preta (duas ou três ”bolinhas”).

Os grãos de pimenta são ricos em beta-cariofileno, um terpeno que pode ter efeito relaxante e sedativo. 

Esse terpeno, encontrado na pimenta do reino, pode se ligar com os receptores CB2.

Apesar de não serem os receptores que se ligam com o THC (que causa a forte brisa), os receptores CB2 vão atuar te relaxando e, possivelmente, te colocar para dormir caso você fique muito paranóico com a brisa.

Portanto, a pimenta pode ser uma boa saída para quem estiver experienciando uma brisa muito forte.

Esse é mais um exemplo de como os terpenos presentes em alimentos específicos podem produzir um efeito fisiológico perceptível e alterar sua experiência com a maconha.

O mito da manga

(Imagem: reprodução Nutritotal)

Pensando em alimentos que afetam o barato, provavelmente você já deve ter ouvido falar na manga.

Muitas fontes apontam que a manga é rica em mirceno (um terpeno também encontrado na maconha). Portanto, ao fumar maconha e consumir manga, sua brisa vai ser potencializada. 

Porém, especialistas apontam que o mirceno pode ser encontrado na casca da manga e, convenhamos, ninguém come a casca. Assim, é um mito dizer que consumir manga vai te deixar mais [email protected] 

Comer de forma saudável é a chave

Ao considerar quais alimentos podem afetar seu barato e melhorar sua experiência com a maconha, é importante pensar em comidas que podem contribuir com o funcionamento do seu sistema endocanabinóide. 

Isso significa comer uma quantidade equilibrada de gorduras ômega-3 e ômega-6, bem como uma grande quantidade de frutas e vegetais frescos, ervas e especiarias, peixes e gorduras saudáveis. 

Além disso, uma dieta baseada em vegetais aumenta a saúde e a diversidade das bactérias intestinais, que são essenciais para a produção de endocanabinóides.

Fonte: The Cannigma

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.