Os terpenos vão muito além do aroma e sabor da maconha.

(Imagem: reprodução Abide)

Sim, você pode agradecer aos terpenos pelos aromas e sabores únicos de cada variedade de maconha.  

Mas os terpenos são responsáveis por mais do que isso: eles também agem em conjunto com outros compostos da maconha na produção de efeitos fisiológicos e cerebrais. 

Moléculas fitocanabinóides, como THC e CBD, são relativamente exclusivas da planta de cannabis, mas outras moléculas derivadas de plantas, como flavonóides e terpenos, também se ligam às nossas células e receptores, influenciando nossas experiências.

Há sinergia entre canabinóides e terpenos, além de outros metabólitos secundários e fitoquímicos da planta. 

Essa é a essência do efeito entourage, e é a razão pela qual os terpenos se revelaram uma peça tão importante no quebra-cabeça da cannabis.

Embora a ciência por trás da maconha ainda esteja em andamento (e tem se mostrado bastante complexa), o que sabemos é que essas pequenas moléculas que existem em diversas plantas têm um papel importante nos efeitos terapêuticos da cannabis (bem como de outras espécies botânicas). 

Junto com os canabinóides e flavonóides, os terpenos ajudam a determinar os efeitos de determinada strain e seus potenciais terapêuticos.

(Imagem: Avery Meeker | Unsplash)

De onde vêm os terpenos canábicos?

Os terpenos são produzidos em pequenas glândulas de resina na superfície da cannabis, os tricomas. Essas glândulas são muito pequenas e, a olho nu, parecem pequenos cristais na flor da maconha. 

Os tricomas também produzem e abrigam os canabinóides.

Alguns estudos científicos apontam que podem existir até 200 terpenos diferentes encontrados na cannabis. Mas, apenas cerca de 50 deles são encontrados regularmente. Destes, 8 são considerados mais comuns na cannabis. 

(Imagem: Avery Meeker | Unsplash)

Os principais terpenos da maconha

Mirceno

(Imagem: Heather Gill | Unsplash)
  • Aroma: ervas
  • Também encontrado: no manjericão, louro, capim-limão, tomilho, salsa, manga e lúpulo
  • Propriedades terapêuticas: sedativo, anti-inflamatório, anticancerígeno, analgésico, relaxante muscular, ansiolítico e antioxidante

Também conhecido como β-mirceno (beta mirceno), esse terpeno é o mais comum em cepas modernas de cannabis. É responsável pelos efeitos sedativos da maconha. Também foi sugerido (mas não confirmado) que o mirceno aumenta a permeação da barreira hematoencefálica, permitindo que outros canabinóides e terpenos passem mais facilmente. O mirceno tem um aroma herbal, com notas almiscaradas e terrosas. 

Graças às suas propriedades medicinais, o mirceno é sugerido como um tratamento potencialmente relevante para condições e sintomas como:

  • Esclerose múltipla
  • Insônia
  • Artrite
  • Inflamação
  • Dores em geral

Beta-cariofileno

(Imagem: reprodução Nourishing Joy)
  • Aroma: picante
  • Também encontrado: na canela, cravo, pimenta preta, alecrim, orégano, manjericão e lúpulo
  • Propriedades terapêuticas: cardioprotetor, analgésico, hepatoprotetor, gastroprotetor, neuroprotetor, nefroprotetor, antioxidante, anti-inflamatório, antimicrobiano, imunomodulador

O beta cariofileno, também conhecido como cariofileno ou BCP, é considerado um terpeno relaxante e sedativo. Também interage com o organismo de maneira semelhante aos canabinóides, por meio de receptores no sistema endocanabinóide, influenciando seus potenciais efeitos e aplicações terapêuticas.

O beta-cariofileno mostra potentes efeitos anti-inflamatórios e propriedades de alívio da dor tanto na dor inflamatória quanto na neuropática. Através de sua estimulação do receptor CB2, sugere-se ser eficaz para:

  • Doenças inflamatórias intestinais (crohn/colite ulcerativa)
  • Mal de Parkinson
  • Demência
  • Ansiedade
  • Depressão

Pineno

(Imagem: reprodução The Higher Path)
  • Aroma: amadeirado
  • Também encontrado em: pinheiros, salsa, alecrim, endro e sálvia
  • Propriedades medicinais: anti-inflamatório, broncodilatador, antibiótico, ansiolítico e analgésico

Existem dois tipos principais de pineno, alfa e beta, mas o alfa pineno é mais abundante na cannabis. Tem um aroma amadeirado e pode ser encontrado em grandes quantidades na resina de árvores coníferas como os pinheiros (daí seu nome). Curiosamente, o pineno pode, potencialmente, ajudar com a perda de memória de curto prazo associada ao THC.

Também é sugerido como um tratamento potencial para condições e sintomas como:

  • Artrite
  • Demência
  • Asma
  • Síndrome respiratória
  • Acne
  • Câncer (especialmente neuroblastoma, melanoma e carcinoma hepático)

Ocimeno

(Imagem: reprodução Botany Farms)
  • Aroma: floral
  • Também encontrado em: pimenta, manga, hortelã, orégano, manjericão, salsa, folha de aipo, estragão e lavanda
  • Propriedades terapêuticas: anticonvulsivante, antiviral, anti-inflamatório, antitumoral e antifúngico

O Ocimeno tem um aroma fresco e floral com notas amadeiradas e é sugerido como um uso potencial em condições relacionadas a convulsões, como epilepsia, inflamação e diferentes tipos de câncer. Ocimeno também é usado na colonização de abelhas para regular as interações sociais desses insetos.

Humuleno

(Imagem: reprodução Brasil Escola)
  • Aroma: terroso
  • Também encontrado no coentro, gengibre, sálvia, cravo, hortelã, ginseng, e encontrado em altas concentrações no lúpulo (humulus lupulus)
  • Propriedades medicinais: anti-inflamatório, anticancerígeno, analgésico, antibacteriano e antiviral

O humuleno está intimamente relacionado ao beta-cariofileno do ponto de vista molecular e pode ter um desempenho melhor quando na presença do BCP – apoiando ainda mais a teoria do efeito de entourage. Seu aroma é, frequentemente, descrito como terroso e amadeirado, às vezes associado ao aroma do lúpulo da cerveja, onde é encontrado em altas concentrações (inclusive, é daí que deriva seu nome). Além disso, o lúpulo é um primo próximo da cannabis, ambos fazem parte da família cannabaceae, portanto, humuleno, beta-cariofileno e mirceno podem ser encontrados nas duas plantas.

O humuleno é considerado um forte agente anti-inflamatório e analgésico, sugerindo benefícios potenciais tanto para a dor local quanto para a sistêmica (especialmente a dor inflamatória). Também mostrou atividade anticancerígena em pesquisas preliminares, e há alguns relatos de supressão do apetite e perda de peso, o que pode ajudar na obesidade e nas condições metabólicas.

Terpinoleno

(Imagem: Barna Kovács | Unsplash)
  • Aroma: floral
  • Também encontrado em: maçãs, pinheiros, folha de açafrão, sálvia e cardamomo, mas é mais abundante na pastinaga/cherovia
  • Propriedades terapêuticas: sedativo, antioxidante, antiproliferativo, cardioprotetor, analgésico e anti-inflamatório

O terpinoleno é frequentemente considerado como tendo um aroma floral com um toque de fragrância cítrica e terrosa. Embora sedativo em camundongos, relatórios subjetivos de consumidores sugerem que variedades de cannabis ricas em terpinoleno podem ser estimulantes em humanos. A combinação de THC e terpinoleno pode ser o motivo disso. Na cannabis, o terpinoleno está presente em muitas variedades, principalmente as Sativa-dominantes, mas geralmente em baixas concentrações.

Acredita-se que seja de valor potencial para condições como

  • Hipertensão
  • Dor (especialmente inflamatória)
  • Câncer (especialmente neuroblastoma e leucemia mielóide crônica)

Linalol

(Imagem: Annie Spratt | Unsplash)
  • Aroma: floral
  • Também encontrado em: lavanda, rosas, manjericão, louro e canela
  • Propriedades terapêuticas: anti-inflamatório, anticonvulsivante, relaxante, analgésico, sedativo, antidepressivo e ansiolítico

Embora presente em muitas especiarias e flores, concentrações particularmente altas de linalol podem ser encontradas na lavanda. Não é surpresa que a lavanda seja comumente usada em práticas de spa e relaxamento devido à natureza calmante do linalol.

Este terpeno floral e picante tem uma longa lista de efeitos medicinais que sugerem uma aplicação potencial para condições e sintomas como:

  • Ansiedade
  • Estresse
  • Depressão
  • Insônia
  • Dor
  • Convulsões

Limoneno

(Imagem: reprodução The Cookist)
  • Aroma: cítrico
  • Também encontrado nas cascas de todas as frutas cítricas
  • Propriedades terapêuticas: ansiolítico, antidepressivo, antibiótico, quimioterápico, anti-inflamatório, analgésico e imunoestimulante

Como sugere o nome, o limoneno (também conhecido como D-limoneno) tem aroma cítrico e pode ser encontrado em altas concentrações nas cascas de frutas cítricas. Acredita-se que este terpeno seja responsável pela experiência “cerebral e eufórica”, comumente atribuída a algumas strains da cannabis. Acredita-se, também, que seja um intensificador de permeação para produtos orais e tópicos que são produzidos com tecnologia de nanoemulsão. 

O limoneno foi sugerido como um tratamento potencial para uma infinidade de condições e sintomas, como:

  • Esclerose múltipla
  • Doença Inflamatória Intestinal (crohn/colite ulcerativa)
  • Refluxo
  • Ansiedade
  • Depressão
  • Inflamação
  • Dor
  • Asma
  • Obesidade
  • Artrite
  • Câncer (particularmente de pele, mama, próstata e glioblastoma)

Quer saber mais sobre os terpenos? Confira o curso ”A Revolução dos Terpenos” do Ganja Talks University e fique por dentro desse universo incrível. 

Se inscreva!

Fonte: The Cannigma

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.