O canabidiol e o delta-9-tetrahidrocanabinol são os canabinóides mais estudados e mais abundantes na maconha.

Eles estão presentes na forma ácida na planta: CBDA e THCA, que se transformam em CBD e THC com o aquecimento (energia térmica).

Quando no corpo, o CBD e o THC interagem com os receptores canabinóides para ajudar a tratar ou limitar os efeitos de várias condições.

cannabis-1

A diferença mais notável entre o CBD e o THC é a falta de efeitos psicoativos para o CBD, que não te deixa [email protected] como o THC.

Isso é explicado porque eles interagem com receptores diferentes, presentes no cérebro e no nosso corpo. O THC interage mais com o receptor CB1 e o CBD com o receptor CB2.

Além dessa diferença principal, a origem desses canabinóides também pode ser distinta: geralmente, produtos com CBD são obtidos do cânhamo (a versão da planta Cannabis Sativa L. com uma concentração de THC menor que 0,3%).

O THC se origina na planta da maconha e as pessoas o extraem dessa fonte.

O CBD também está presente nessa planta. Mas pelo fato de muitos países ainda proibirem o THC, o canabidiol é obtido pelo cânhamo.

Benefícios medicinais

As pessoas normalmente usam o CBD para ajudar a tratar

  • doença inflamatória intestinal
  • convulsões
  • depressão
  • inflamação
  • psicose ou transtornos mentais
  • enxaquecas

O THC tem usos potenciais no tratamento de:

  • glaucoma
  • espasticidade muscular
  • baixo apetite
  • insônia


Produtos com ambos os canabinóides (full spectrum) também são utilizados para dor, náusea e ansiedade, variando a concentração de THC e CBD, de acordo com o efeito terapêutico a ser obtido.

Efeitos colaterais

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o CBD é seguro até mesmo em grandes quantidades, e os únicos efeitos colaterais possíveis resultam de interações com outros medicamentos que uma pessoa possa estar tomando.

Uma pessoa que consome THC pode experimentar alguns efeitos temporários, como boca seca, olhos vermelhos, tempos de resposta mais lentos que a média e aumento da frequência cardíaca.

Algumas pessoas que sofrem com (ou possuem predisposição a) ansiedade aguda, síndrome do pânico, esquizofrenia e outros problemas de saúde mental podem experimentar efeitos psiquiátricos adversos com o THC.

Adolescentes, em particular, também podem experienciar sintomas colaterais com uso constante de THC, porque o cérebro de um adolescente ainda está em desenvolvimento, e os efeitos psicoativos do canabinóide podem ter um impacto nesse processo.

Porém, nenhum dos dois canabinóides apresentam risco de vida aos consumidores. Não existe nenhum registro de overdose causada pela maconha, sendo considerada uma medicina e substância recreativa altamente segura.

Consumo

Muitas pessoas optam por vaporizar (fumar no baseado, bongs ou pipes) a maconha para obter os efeitos do THC e do CBD.

Existem flores de cannabis com mais CBD e menos THC. Existem também flores com apenas Delta-8-THC e CBD, sendo comercializadas em locais onde o delta-9-THC é proibido.

Para quem busca tratamentos terapêuticos apenas com CBD, alguns produtos recomendados são:

  • óleos
  • géis
  • suplementos
  • edibles (gummies são mais comuns)

O THC também pode vir em diferentes formas, incluindo:

  • produtos fumáveis
  • óleos
  • tinturas
  • edibles (brownies)
  • cápsulas

O CBD e THC agem de maneira oposta, mas complementar. Dependendo a finalidade que você consume maconha, um pode ser mais indicado do que outro ou, claro, os dois agindo em conjunto.

Acesse o Guia de Strains do Who is Happy e tenha informações sobre a concentração dos canabinóides em diferentes variedades de maconha.

Fonte: Medical News Today

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.