O tetrahidrocanabinol ficou conhecido quase que exclusivamente pelo seus efeitos psicoativos. Mas esse canabinóide tem muitos benefícios para a área da saúde.

Ainda existe muito preconceito com o THC, ou melhor, com o efeito de ”ficar [email protected]” proporcionado por esse canabinóide. Além disso, por muito tempo, defendeu-se (de forma errônea) que o tetrahidrocanabinol não tinha qualquer valor medicinal.

Isso pode ser muito observado através da legislação de muitos países que resolveram só liberar o CBD, mas manter o THC proibido. Afinal, o consumo recreativo ainda sofre estigma e o tetrahidrocanabinol está diretamente relacionado com esse tipo de uso.

Outra polêmica que reflete isso é que o uso medicinal da maconha ficou rigorosamente ligado ao CBD, que leva todos os créditos pelos benefícios terapêuticos da planta.

Porém, apesar dessa distinção ”CBD bom” x ”THC mau”, esses dois canabinóides agem de maneira complementar para proporcionar bem-estar. Ou seja, devido ao efeito entourage, o THC também tem um papel importante quando a cannabis é utilizada com fins medicinais.

Claro que, em alguns casos clínicos, os efeitos e propriedades do CBD são mais indicados, e alguns efeitos do THC devem ser evitados, e o contrário também se aplica.

Apesar do CBD ser o protagonista, o THC tem uma função vital de fornecer um conjunto diversificado de benefícios terapêuticos associados ao consumo da planta maconha. Conheça 15 deles:

1. Alivia a dor

Mais de 1,5 bilhão de pessoas em todo o mundo vivem com dor crônica. Muitos desses indivíduos sofrem de dor neuropática ou dor relacionada ao nervo.

Estudos mostram que o composto da cannabis ativa caminhos no sistema nervoso central que bloqueiam o envio de sinais de dor ao cérebro.

Até mesmo um teste aprovado pela Food and Drug Administration (FDA, dos EUA) confirmou a eficácia do THC no alívio da dor.

O teste mostrou que “uma dose baixa de delta-9-tetrahidrocanabinol proporcionou reduções estatisticamente significativas de 30% na intensidade da dor quando comparada ao placebo”.

2. Melhora náuseas

O Marinol foi o primeiro medicamento com THC aprovado nos EUA, na década de 1980 (auge do proibicionismo) para tratar náuseas e vômitos em pacientes com câncer.

No entanto, o delta-9-tetrahidrocanabinol presente no Marinol é sintético e isolado.

O que significa que ele não inclui componentes benéficos, como outros canabinóides, terpenos e flavonóides, que funcionam melhor juntos do que separadamente. E o canabinóide sintético não é tão ”poderoso” quanto o presente naturalmente na planta.

Mas, considerando que outros medicamentos para náusea, como Zofran, podem levar a efeitos colaterais como: diarreia, dor de cabeça, sonolência, visão turva, espasmos musculares, erupção cutânea, febre e constipação, apenas para citar alguns – as terapias à base de THC são uma opção muito mais segura.

3. Protege células do cérebro

Por muitos anos, defendeu-se que o consumo de maconha mata neurônios e células cerebrais.

Porém, a ciência mostra o contrário.

Enquanto a maioria das drogas são neurotóxicas, o THC é considerado neuroprotetor. O que significa que ele realmente protege as células cerebrais de possíveis danos.

Um estudo de 2014 descobriu que pessoas com THC em seus sistemas eram 80% menos propensas a morrer de lesões traumáticas na cabeça do que aquelas sem.

4. Pode ajudar a ter um sono melhor

Tem problemas para dormir? Pesquisas mostram que o THC pode ser uma ótima ajuda para uma boa noite de sono.

Para algumas pessoas, para outras, pode ter efeito reverso.

Porém, alguns ensaios apontam que doses orais desse canabinóide ajudam pessoas com insônia a adormecer mais rápido.

Além disso, pesquisas recentes sugerem que o THC também pode melhorar a respiração enquanto reduz as interrupções do sono.

Ótima notícia para aqueles que sofrem de condições como apnéia do sono!

5. Ajuda no tratamento de TEPT

O Transtorno de Estresse Pós-Traumático (TEPT) pode incluir sintomas como agitação, ansiedade severa, depressão, insônia, pesadelos e isolamento social – podendo ser uma condição incapacitante.

O THC mostrou ser uma opção de tratamento altamente eficaz para o TEPT. Alguns psiquiatras, inclusive, dizem que a cannabis rica em THC é o melhor tratamento para essa condição.

De fato, estudos confirmaram que o THC alivia vários sintomas relacionados ao TEPT, incluindo agitação, depressão, insônia, flashbacks e pesadelos.

6. Promove crescimento de células cerebrais

Acredite ou não, os benefícios do THC para o cérebro podem ser ainda maiores: o psicoativo não apenas protege as células cerebrais, mas também estimula o crescimento cerebral.

O THC ativa o “receptor CB1” em nossos cérebros. Essa estimulação promove um processo conhecido como potencialização de longo prazo, que melhora a capacidade do cérebro de aprender.

Os cientistas também descobriram que, como o CBD, o THC faz com que as células cerebrais no hipocampo cresçam.

É por isso que a cannabis pode tratar ou até retardar doenças como o Alzheimer.

7. Aumenta o apetite

Condições como HIV, distúrbios alimentares, hepatite e demência podem levar à perda de apetite.

E o THC é bem conhecido por proporcionar a larica (aquele apetite insaciável).

Pesquisadores descobriram que o THC interage com o mesmo tipo de receptores no hipotálamo que liberam o hormônio grelina, que estimula a fome. Na verdade, o THC pode até melhorar o sabor dos alimentos.

Com a abordagem certa, os efeitos indutores da fome do THC podem melhorar drasticamente a qualidade de vida de pessoas que sofrem com perda de apetite.

8. Melhora o sensorial

Você pode não considerar isso um benefício para a saúde, mas a experiência sensorial aumentada com o THC pode levar a uma melhor qualidade de vida à medida que melhora a criatividade, o modo de pensar, leva a insights pessoais mais profundos, relaxa, retira o stress…

Para muitas pessoas, os efeitos intensificadores do THC proporcionam benefícios para a saúde mental e alívio psicológicos.

9. É antibactericida

Você sabia que uma das razões pelas quais as plantas de cannabis produzem THC é para se proteger de patógenos?

O canabinóide pode fazer o mesmo para humanos e animais.

Em um estudo com roedores, descobriu-se que o tratamento de camundongos com a inclusão do THC em suas dietas mudou efetivamente seus micróbios intestinais ao longo do tempo.

Neste caso em particular, o canabinóide transformou os micróbios intestinais de camundongos obesos em uma comunidade microbiana mais semelhante aos camundongos magros.

Além disso, pesquisadores do MIT descobriram que o tratamento de um patógeno resistente a antibióticos, com o THC, matou com sucesso as bactérias, enquanto outras drogas não conseguiram.

A bactéria em questão era Staphylococcus aureus resistente à meticilina (MRSA), que causa feridas abertas graves quando não tratada.

10. É antioxidante

Há uma razão pela qual a cannabis tem sido apontada como uma ferramenta antienvelhecimento e anti-stress.

O THC e outros canabinóides são potentes antioxidantes.

Para proteger a cannabis de patógenos, a erva aumenta sua produção de THC em resposta à luz UVB.

A luz UVB é o tipo de luz que causa estresse oxidativo em humanos, contribuindo para o envelhecimento visível e outras doenças de pele.

O estresse oxidativo pode causar danos nos níveis celular e de DNA, o que deixa as pessoas mais propensas a doenças graves, como câncer e doenças neurodegenerativas.

Como um potente antioxidante, um dos muitos benefícios para a saúde do THC é proteger o corpo desses danos relacionados ao estresse oxidativo.

11. É anti-inflamatório

A inflamação é considerada um importante fator de risco para todos os diferentes tipos de doenças.

Depressão? Há um componente inflamatório. Artrite? A inflamação contribui para a dor, rigidez e problemas de saúde ao longo do tempo.

Já existem muitos produtos com CBD para controlar a inflamação, mas o THC também tem um papel a desempenhar.

Pesquisas sugerem que, em alguns casos, o composto da cannabis pode diminuir a produção de citocinas e quimiocinas no corpo, compostos que desencadeiam a inflamação.

Pesquisas pré-clínicas adicionais sugerem que o THC pode ser capaz de diminuir a inflamação suprimindo genes relacionados a uma resposta inflamatória.

12. É broncodilatador

A saúde pulmonar não é a primeira coisa em que você pensa ao considerar os benefícios do THC para a saúde.

Mas, acredite ou não, o composto pode ajudar a abrir as vias aéreas em seus pulmões.

Estudos realizados em 1975 forneceram a primeira evidência da capacidade do canabinóide em aliviar ataques de asma.

Algumas empresas biofarmacêuticas estão experimentando medicamentos à base de cannabis para doenças como asma e doença pulmonar.

Além dos benefícios do THC para os pulmões, o pineno (um terpeno da maconha) pode aumentar o efeito broncodilatador do THC.

13. Tem potenciais benefícios anti-tumorais

Pesquisas iniciais em laboratório e em animais descobriram que a maconha pode matar células cancerígenas de várias maneiras distintas.

O Dr. Gregory Smith, um médico formado em Harvard, aborda evidências iniciais que sugerem que o THC e outros compostos da erva têm forte potencial anticancerígeno.

O médico mencionou que existem três maneiras distintas que a cannabis afeta o câncer:

  1. através de um processo chamado apoptose, que é uma função imunológica que faz com que as células se autodestruam quando estão danificadas ou doentes. “A cannabis faz a apoptose, aquela palavra horrível, que diz para a célula cancerosa ir se matar. É literalmente uma chave que gira uma fechadura e diz à célula para se matar”, disse o Dr. Smith.
  2. em modelos de laboratório, o THC impediu um tumor de formar vasos sanguíneos. Isso essencialmente mata de fome as células cancerígenas, cortando seu suprimento de comida e oxigênio.
  3. os compostos de cannabis parecem impedir a metástase das células cancerígenas. Como o Dr. Smith explicou: “Isso impede que a célula cancerosa deixe a colônia de outras células cancerígenas e vá e forme sua própria nova área metastática no corpo”.

“Todas essas três coisas são bem conhecidas”, continuou Smith, “e é principalmente o THC que tem os efeitos anticancerígenos”.

14. Relaxa os músculos

Não é novidade que a maconha relaxa. E o THC, junto a alguns terpenos, pode ser o responsável.

Por isso, o composto tem sido muito utilizado para pacientes com condições como esclerose múltipla, que muitas vezes experimentam espasticidade muscular, dor e cãibras.

Embora se acredite que o THC tenha propriedades relaxantes musculares por si só, a capacidade da molécula de aliviar cãibras e tensão pode ser aprimorada por certos compostos aromáticos na planta.

Alguns especialistas sugerem que o mirceno, um terpeno, também pode contribuir para a sensação de ”corpo pesado” (relaxamento).

15. É um anti-convulsionante

No mundo da epilepsia, o CBD geralmente recebe todo o crédito, pois em ensaios clínicos, o canabidiol reduziu com sucesso a atividade convulsiva.

Porém, o THC também possui propriedades anticonvulsionantes.

Fonte: Green Flower

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.