O meio-ambiente, vital para a sobrevivência de todas as espécies do Planeta, sofre cada vez mais ameaças: poluição, escassez de recursos naturais, mudanças climáticas…

Nesse cenário de degradação ambiental, veja como o cânhamo pode ajudar.

hemp

Os problemas ambientais da atualidade têm chamado cada vez mais a atenção do mundo porque, além de ser uma ameaça à extinção de inúmeras espécies no mundo, representa uma ameaça à saúde humana, à segurança alimentar e, de forma mais geral, a nossa existência.

Possíveis soluções estão sendo exploradas; regulamentações foram impostas em locais vinculando as práticas de produção verde, limitando a emissão de gás carbônico (CO2) e a ênfase é dada aos recursos renováveis ​​juntamente com a busca de alternativas aos materiais carbono-positivos.

A Cannabis Sativa L. (que origina o cânhamo) tem recebido muita atenção devido à sua multifuncionalidade, ciclo de produção curto, baixa demanda de capital no cultivo, possibilidade de transformação carbono-negativa e material de fácil sequestro de carbono.

Uma pesquisa recente, inclusive, ressalta ”o cânhamo como um recurso renovável muito promissor, incluindo seus usos potenciais em papel, têxteis, compósitos, biocombustíveis e indústria alimentícia”.

Listamos 8 benefícios do cultivo de cânhamo para o meio-ambiente:

1. Usa menos pesticidas

O cânhamo é naturalmente resistente a pragas. Ao contrário do algodão ou do linho (que consomem muitos pesticidas), o cultivo do hemp requer menos pesticidas ou herbicidas.

Quando os pesticidas são pulverizados em terra, eles podem facilmente se infiltrar em fontes de água, como rios, oceanos ou lagoas. Se os pesticidas contaminam um corpo de água, podem prejudicar as criaturas vivas neste ambiente, bem como as pessoas que vão ingerir essa água.

Além disso, pesticidas têm sido associados a diversas doenças.

Substituir matérias primas tradicionais que costumam usar muitos pesticidas, como o algodão, pelo cânhamo, é uma boa prática para o meio-ambiente.

2. Ajuda a recuperar o solo

O cânhamo pode crescer em uma ampla variedade de terrenos e tipos de solo. Forma raízes profundas ajudando a manter o solo unido. Isso, por sua vez, evita a erosão do solo. Além disso, pode aumentar o conteúdo microbiano do solo.

O caule e as folhas dessa planta são ricos em nutrientes. Após a colheita, alguns destes nutrientes ficam remanescentes no solo, podendo contribuir para a qualidade dessa terra e gerando um rendimento melhor.

Além disso, o hemp pode eliminar toxinas do meio-ambiente. O cânhamo é tão eficaz na absorção de materiais tóxicos que foi usado para remover alguns metais pesados do solo de Chernobyl.

3. Pode produzir plásticos biodegradáveis

O plástico é um dos maiores males do Planeta Terra. Demoram milhares de ano para se degradar e, ao longo da vida, se transformam em microplásticos, contaminando águas de todo o mundo e destruindo a biodiversidade.

Na composição dos plásticos há celulose derivada do petróleo. No entanto, o petróleo é altamente tóxico.

O cânhamo, por outro lado, é o maior produtor de celulose do planeta, e o mais importante: é biodegradável.

Portanto, essa planta representa uma ótima alternativa aos plásticos.

4. Pode ser usado como biocombustível

Combustíveis fósseis, como o petróleo, carregam muitos danos ambientais.

Portanto, alternativas sustentáveis, como os biocombustíveis, estão sendo cada vez mais exploradas.

E o cânhamo pode ser usado como biocombustível: ele se converte em biodiesel a uma taxa de eficiência de 97%. Também queima a uma temperatura mais baixa do que qualquer outro tipo de biocombustível.

5. Tecidos de cânhamo são mais ecológicos

Roupas de poliéster levam quase 200 anos para se decompor totalmente.

Pequenos pedaços de plástico presentes em fibras sintéticas compõem 34,8%, dos microplásticos nos oceanos

Por outro lado, fibras naturais como o algodão exigem muitos recursos: são necessários cerca de 713 galões de água para produzir o algodão para uma camiseta. O cânhamo usa cerca de 8 vezes menos.

Com isso, a indústria da moda tem apostado no cânhamo: seu cultivo é mais ecológico que o algodão (e produz 3x mais fibras), como mencionado, e envolve práticas regenerativas, Além de ser biodegradável.

6. Pode reduzir os efeitos das emissões de carbono

Altas emissões de carbono são responsáveis pelas mudanças climáticas (e todos os outros problemas que as acompanham).

O cânhamo é uma das poucas culturas agrícolas capazes de reduzir as emissões de carbono através da rápida absorção de dióxido de carbono. Ele faz isso através do sequestro de carbono.

Ou seja, quando cultivado, o cânhamo captura as emissões de carbono da atmosfera. Essencialmente, o cânhamo ajuda a sequestrar ou “aprisionar” o carbono do ar nas plantas.

Para cada tonelada de cânhamo produzida, 1,63 toneladas de carbono são removidas do ar.

7. Cultivar cânhamo pode diminuir o desmatamento

O desmatamento está aumentando em todo o mundo a taxas alarmantes. Cientistas agora acreditam que a taxa de desmatamento equivale a uma perda de 48 campos de futebol a cada minuto.

Dentro de 100 anos, estima-se que não haverá florestas tropicais.

Mas há esperança. O cânhamo pode facilmente substituir as árvores como fonte de matéria-prima para madeira e papel. Um acre de cânhamo pode produzir, anualmente, tanto papel quanto quatro acres de árvores.

Enquanto as árvores levam anos para amadurecer, o cânhamo pode ser cultivado e reproduzido em poucos meses. O papel de cânhamo também é mais durável do que o papel produzido a partir de árvores.

Em outras palavras, a transição para o cânhamo pode salvar árvores e o planeta.

Fontes: Science Direct e Green Flower

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.