Para além dos famosos CBD e THC, outros canabinóides têm ganhado destaque por seus benefícios para a saúde.

Uma nova pesquisa descobriu propriedades importantes do Canabinol (CBN).

Por muito tempo, os cientistas se concentraram mais nas propriedades terapêuticas dos principais compostos canabinóides da maconha, o THC e CBD.

Mas canabinóides menores, como canabinol (CBN), ácido canabidiólico (CBDA), ácido canabigerólico (CBGA), ácido (CBNA), canabidivarina (CBDV), tetrahidrocanabivarina (THCV), canabigerol (CBG) e tetra-hidrocanabinólico (THCA) estão recebendo mais atenção.

O CBN

O canabinol tem uma estrutura molecular semelhante ao THC, a principal diferença é que não é psicoativo.

O CBN é, provavelmente, o terceiro canabinóide mais famoso depois do THC e do CBD. Ele é conhecido por ajudar o sono. Além disso, alguns estudos sugerem que o CBN pode ter alguns efeitos antiinflamatórios e analgésicos. 

Uma descoberta recente também descobriu efeitos anti-neurodegenerativos do canabinol, ou seja, esse canabinóide pode proteger as células nervosas de efeitos prejudiciais, conforme a pessoa envelhece.

Segundo o estudo, o CBN protege as células nervosas do estresse oxidativo e da morte, que são os principais contribuintes para o aparecimento de doenças neurodegenerativas induzidas pela idade, como a doença de Alzheimer e Parkinson.

Potenciais para a saúde

Durante este estudo, os cientistas levaram em consideração os processos de oxitose e ferroptose, um importante fator que contribui para o envelhecimento de células cerebrais.

O mecanismo é induzido pela perda gradual de glutationa, um antioxidante, à medida que a pessoa envelhece. Isso resulta em danos proeminentes ou morte de células neurais através da oxidação.

O estudo administrando CBN às células nervosas para observar como elas limitam a ação oxidativa.

Após testar células cerebrais saudáveis e danificadas com Canabinol, foi observado que o CBN protegeu as células nervosas. Eles também observaram que as mitocôndrias, a usina de força de uma célula, estavam protegidas do dano oxidativo.

As mitocôndrias em células saudáveis foram comparadas com aquelas em células danificadas. As mitocôndrias na célula danificada pareciam estar dobradas em uma forma redonda para protegê-la de mais danos. As mitocôndrias danificadas são frequentemente observadas nas células cerebrais de pacientes com Alzheimer e Parkinson.

Ou seja, os efeitos protetores do CBN incitaram o bom funcionamento das mitocôndrias.

Com a pesquisa, podem haver implicações para outras doenças neurodegenerativas relacionadas à perda de glutationa.

O potencial do CBN para proteger e manter as funções das mitocôndrias sugere que ele também pode ser usado para tratar outras partes do corpo além do cérebro. Isso abre o caminho para mais pesquisas além do contexto das condições neurodegenerativas. O próximo item da agenda para a equipe é reproduzir o estudo acima em um modelo de camundongo pré-clínico.

Os pesquisadores reconhecem que, a partir dessa descoberta, mais estudos precisam ser feitos para confirmar todos os potenciais do CBN. Mas essas novas propriedades já se mostram animadoras para a área da saúde.

Fonte: The Fresh Toast

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.