Desde automatização de cultivo até criação de ‘super strains’ por robôs: veja como a inteligência artificial (IA) está se aproximando da indústria canábica.

(Imagem: reprodução Cannabis Now)

A IA já está presente na maioria das indústrias atuais, não seria diferente na indústria canábica.

Agora, as tecnologias de inteligência artificial estão sendo criadas especificamente para essa indústria, e os impulsionadores dizem que essas duas esferas de negócios estão à beira de uma convergência revolucionária.

Novas aplicações de IA em vários aspectos da indústria – do cultivo ao marketing e ao financiamento – surgem diariamente.

Além da área medicinal, a parte de cultivo parece ser uma das áreas que mais têm recebido inovações a partir de inteligência artificial.

Grows inteligentes

Algumas empresas já criaram sistemas que monitoram a nutrição das plantas, taxas de crescimento e ciclos de vida, de forma automatizada. Os dados coletados ajudam a determinar os horários de alimentação e poda, e evitar fenômenos como surtos de pragas.

Uma visão geral da evolução dos aplicativos de IA para cannabis, publicada no Medium, observa que dispositivos como sensores de cultivo de alta resolução estão sendo usados ​​para fornecer condições precisas de cultivo, enquanto a robótica é empregada para automatizar ou controlar remotamente aspectos do cuidado das plantas.

A startup israelense Seedolab, por exemplo, foi uma das primeiras a unir IA ao cultivo. A empresa desenvolveu uma “caixa de cultivo” de cannabis hidropônica automatizada e autônoma. O Seedo, como chama a tecnologia desenvolvida, é o primeiro produto de cultivo de maconha orgânica totalmente automatizado do mundo.

Aqui no Brasil também já existem soluções tecnológicas focadas na indústria cannábica.

A ADWA Cannabis é uma das primeiras do país, focada em biotecnologia. Segundo a startup, seu objetivo é ‘’fornecer tecnologias para a cadeia de produção de cannabis, com foco no melhoramento genético, desenvolvendo variedades comerciais de cannabis altamente produtivas, adaptadas às diversas condições de clima e solo do Brasil, resistentes a pragas e doenças e que atendam as mais diversas demandas do mercado. 

Além disso, eles desenvolvem softwares para planejamento, gestão, rastreabilidade e auxílio à tomada de decisão em relação aos cultivos, possibilitando redução de custos e perdas produtivas, e aumentando a qualidade e produtividade final. 

Personalização inteligente de strains

Também existem várias soluções focadas no desenvolvimento de strains.

A IA está sendo usada para analisar dados existentes de estudos e periódicos revisados ​​por pares para entender detalhadamente sobre cepas e os potenciais de cada genética para tratamentos médicos.

Algumas empresas chamam isso de sistema de cepas de maconha personalizadas.

O futuro?

As empresas de cannabis, sobretudo no mercado legal, estão em um ponto em que entendem que, se não implementarem a inteligência artificial hoje ou amanhã, estarão em desvantagem em relação a todos os seus concorrentes.

Porém, assim como nas demais indústrias, as mesmas questões são levantadas sobre o potencial deslocamento social causado pela automação da indústria da cannabis: a ‘robotização’ levará ao desemprego?

Alguns casos demonstram essa possibilidade, como a Canopy Growth, no Canadá. Uma das maiores empresas canábicas do mundo demitiu vários trabalhadores depois de automatizar parte de suas instalações.

Alguns especialistas dizem que outros fatores influenciaram nas demissões, mas a ‘invasão’ da IA na indústria canábica pode representar um downsizing em empresas da área no futuro.

Você acha que o cultivo de cannabis se tornará algo totalmente automatizado?

Fonte: Cannabis Now

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.