O sistema endocanabinóide ajuda a regular todas as funções do organismo e o CBD contribui para o bom funcionamento desse sistema.

CBD

O papel do sistema endocanabinóide (SEC) na saúde humana é contribuir para funções vitais, como humor, comer, dormir, proteger (ajuda na na proteção do cérebro e crescimento de novas células cerebrais; modula o sistema imunológico para afastar invasores nocivos) e manter o metabolismo saudável.

Assim, o SEC controla uma ampla gama de processos fisiológicos, como cicatrização de feridas, pressão arterial, percepção da dor, produção de células cerebrais, metabolismo da glicose e função imunológica para controlar a inflamação.

Pelo fato do sistema endocanabinóide atuar como um regulador do organismo, a modulação da atividade do SEC pode ter potencial terapêutico para quase todas as doenças que afetam os humanos.

Cientistas descobriram que em praticamente todas as doenças, incluindo câncer, diabetes, Alzheimer, dor crônica, distúrbios do sono (para citar apenas algumas), o sistema endocanabinóide está desregulado. Portanto, é fundamental mantê-lo funcionando bem.

Dado que os fitocanabinóides (compostos canabinóides encontrados na maconha) modulam o sistema endocanabinóide, é fácil entender como a cannabis tem alto potencial para várias condições de saúde.

Componentes do sistema endocanabinóide

Receptores canabinóides: são como portais em miniatura que ficam na superfície das células em todo o cérebro, sistema nervoso central e outros órgãos.

Eles captam sinais importantes sobre o que está acontecendo no corpo para que essas células possam tomar as ações apropriadas conforme necessário. Existem dois tipos principais de receptores canabinóides: CB1 e CB2.

Ambos estão espalhados por todo o corpo, mas os receptores CB1 estão concentrados no cérebro e no sistema nervoso central e os receptores CB2 estão concentrados no sistema imunológico. Mas ambos os tipos de receptores canabinóides estão presentes na pele, fígado, rins, coração e outros órgãos internos.

O CBD e o THC, bem como os demais compostos da maconha, interagem diretamente com esses receptores. Comumente, o THC interage mais com o receptor CB1 e o CBD com o receptor CB2.

Endocanabinóides: são moléculas que se ligam aos receptores canabinóides e os ativam como uma chave girando uma fechadura.

Os cientistas descobriram vários outros endocanabinóides dentro de nossos corpos, mas dois são mais prevalentes: 2-araquidonoilglicerol (2AG) e anandamida, nomeado para a palavra sânscrita ananda, que significa felicidade, por causa de sua reputação como um intensificador de humor.

Os endocanabinóides interagem com os mesmos receptores que o THC e outros componentes da planta de cannabis.

Enzimas metabólicas: são proteínas que aceleram reações químicas e regulam os níveis dos endocanabinóides.

Canabidiol

Quando você ingere CBD, ele é transportado de forma prioritária pela corrente sanguínea. É como se ele afastasse o 2AG e a anandamida, o que é algo bom, já que esses canabinóides naturais conseguem, então, permanecer na superfície das células por mais tempo, o que faz com que eles tenham um período maior para ativar os receptores CB1 e CB2

Em essência, o CBD prolonga o ciclo de vida natural de nossos próprios endocanabinóides naturais para que possam conferir mais benefícios terapêuticos.

O CBD ajuda a melhorar o funcionamento do sistema endocanabinóide, expondo-o a uma dose estendida de atividade canabinóide. Este pode ser um mecanismo chave do potencial terapêutico do CBD.

Mas essa não é a única maneira pela qual o CBD interage com seu sistema endocanabinóide. Além de aumentar os níveis de endocanabinóides, o CBD também pode alterar e ajustar o funcionamento dos receptores canabinóides.

Estudos pré-clínicos (in vitro) indicam que o CBD funciona como um modulador alostérico no receptor CB1, o que significa que influencia como o receptor sinaliza sem realmente causar a sinalização. Este parece ser um dos mecanismos pelos quais o CBD equilibra a psicoatividade do THC, que é causada pela ativação direta do receptor CB1.

Ao mesmo tempo, o CBD aumenta a sinalização do receptor CB2, que regula a inflamação e a atividade das células imunes.

Resumindo, o CBD pode ajustar o SEC modulando a atividade dos receptores CB1 e CB2. Essa atividade pode ter efeitos profundos e positivos para a saúde.

Para recapitular: o CBD pode elevar os níveis de seus compostos canabinóides endógenos, anandamida e 2AG, que ativam seus receptores canabinóides e os fazem sinalizar. O CBD também pode ajustar a maneira como seus receptores canabinoides funcionam, diminuindo o volume no CB1 enquanto aumenta o CB2 de uma maneira que equilibra o corpo e promove a boa saúde.

Em breve, você poderá iniciar tratamento com cannabis, de forma legal, com a Clínica Who is Happy!

Fonte: Project CBD

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.