Estudo revela quanto as fabricantes de medicamentos tradicionais podem perder anualmente em vendas com a legalização da maconha.

cannabis research

Um estudo feito em conjunto pela Universidade Politécnica Estadual da Califórnia e pela Universidade do Novo México, nos Estados Unidos, avaliou os prejuízos bilionários que a legalização traz para a big pharma.

Os autores do estudo apontam que um único evento de legalização poderia reduzir as vendas anuais do setor farmacêutico em até US$ 3 bilhões.

O artigo da pesquisa, revisado por pares, analisou os dados de retorno de ações e vendas de medicamentos prescritos para 556 empresas farmacêuticas de 1996 a 2019, analisando as tendências do mercado antes e depois da legalização da cannabis para uso médico e adulto em estados norte-americanos.

“Nossos resultados mostram que a legalização da cannabis está associada a uma diminuição nos retornos do mercado de ações para as empresas farmacêuticas”, relataram os pesquisadores.

Já existem relatos anedóticos (estudos baseados em dados e análises observacionais) sinalizando que diversas pessoas estão usando cannabis como alternativa aos medicamentos farmacêuticos tradicionais, como analgésicos à base de opióides e medicamentos para dormir.

No início deste ano, por exemplo, uma pesquisa que analisou dados do Medicaid (programa social do governo norte-americano para famílias e indivíduos de baixa renda) sobre medicamentos prescritos descobriu que a legalização da maconha para uso adulto está associada a “reduções significativas” no uso de medicamentos prescritos para o tratamento de várias condições.

Mas esse sobre a diminuição dos retornos financeiros para a indústria farmacêutica trouxe novos dados.

“Ao expandir o acesso e, portanto, o uso, a legalização pode permitir que a cannabis concorra com os produtos farmacêuticos convencionais. Em grande parte não patenteável, a cannabis pode atuar como um novo entrante genérico após a legalização médica, levando alguns indivíduos a substituir outras drogas pela cannabis. No entanto, ao contrário de um novo medicamento genérico convencional, o uso de cannabis não se restringe a um conjunto único ou limitado de condições. Isso significa que a cannabis atua como um novo participante em muitos mercados de drogas diferentes simultaneamente”, conclui o estudo.

Embora uma queda de 1,5% a 2% nos retornos da big pharma possa não parecer muito para a lucrativa indústria farmacêutica, os autores disseram que a diferença é ”estatisticamente significativa”.

“Descobrimos que a mudança média no valor de mercado de uma empresa por evento de legalização é de US$ 63 milhões, com um impacto total no valor de mercado das empresas por evento de US$ 9,8 bilhões”, diz o estudo.

Mesmo assim, o setor farmacêutico não está perdendo muito dinheiro.

Como mostra o estudo, os retornos do setor ainda cresceram em um ritmo consistente nas semanas após os estados terem acabado com a proibição – mas não no ritmo que analistas e investidores esperavam inicialmente.

Os pesquisadores concluíram que “o reconhecimento do mercado da cannabis como uma alternativa aos medicamentos convencionais documentados aqui ressalta a necessidade de pesquisas adicionais sobre o potencial médico da cannabis [e] … sugere [que] a cannabis pode ser uma ferramenta útil para aumentar a concorrência nos mercados de medicamentos”.

Fontes: Marijuana Moment e NORML

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.