Existem pessoas que podem ser alérgicas à maconha. Entenda as causas, sintomas e como cuidar.

Como qualquer alimento, substância ou plantas, as pessoas podem ter reações alérgicas desencadeadas pela maconha.

Tanto os terpenos (também encontrados em outras plantas), quanto canabinóides e até mesmo o polén da planta podem ser alérgenos.

De acordo com a Academia Americana de Alergia, Asma e Imunologia (AAAAI), uma pessoa pode desenvolver uma alergia ou sensibilização alérgica à maconha após a exposição à planta:

  • inalando o pólen no ar
  • fumando
  • tocando a maconha
  • comendo edibles

Sintomas

Os sintomas comuns de uma alergia à maconha, muitos dos quais são semelhantes aos sintomas de outras alergias, incluem:

  • tosse seca
  • congestionamento ou nariz escorrendo
  • olhos coçando e vermelhos
  • náusea
  • espirros
  • garganta dolorida ou coceira na garganta

O contato da pele com a planta também pode causar irritações, como dermatite ou uma reação cutânea que pode apresentar os seguintes sintomas: bolhas, pele seca, urticária, coceira, pele vermelha e inflamada.

Os sintomas de alergia à maconha podem surgir imediatamente após a exposição à planta, mas, em alguns casos, podem demorar uma hora ou mais para aparecer.

No caso da identificação de um ou mais sintomas descritos acima, o ideal é buscar ajuda médica.

De forma muita rara, a maconha pode causar uma reação alérgica grave chamada anafilaxia. Essa condição pode ser fatal e ocorre em segundos ou minutos após a exposição a um alérgeno.

Os sinais e sintomas de anafilaxia incluem: dificuldade para respirar, tontura, desmaio, pele com coceira e corada ou pálida, pressão sanguínea baixa, língua ou garganta inchada, pulso fraco e rápido, vômito.

Já foi relatada anafilaxia em indivíduos alérgicos que ingeriram sementes de cânhamo. Mas, como mencionado, é muito raro.

Vale a pena notar que alergias e efeitos colaterais não são a mesma coisa.

Você pode experimentar efeitos colaterais comuns, como olhos vermelhos, sonolência, náuseas… Mas não ser alérgico à cannabis.

Reatividade cruzada

Há relatos de reatividade cruzada entre a maconha e certos alimentos, como tomate, pêssego e avelã.

Isso se deve a proteínas ou alérgenos de reação cruzada encontrados tanto na maconha quanto nesses alimentos, podendo causar reações alérgicas graves.

Diagnóstico

Os médicos diagnosticam as alergias à maconha da mesma forma que outros tipos de alergias, usando testes cutâneos ou exames de sangue.

Embora esses testes não sejam padronizados, eles podem ser usados geralmente para prever a sensibilização alérgica.

Tratamento e prevenção

Não existe um tratamento específico para a alergia à cannabis. Os tratamentos utilizados são os mesmos para as demais alergias, como remédios anti-alérgicos e anti-histamínicos para controlar os sintomas e reduzir o desconforto.

Para quem sentir os sintomas alérgicos relacionados ao uso da maconha ou, de fato, receber diagnóstico médico da alergia, o ideal é evitar fumar, comer ou tocar na planta.

Fontes: AAAAI e Medical News Today

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.